terça-feira, 21 de maio de 2013

Outras planícies!


O papa francisco "macedo"?

Os católicos gostam de exibir uma postura compenetrada e cool acerca dos ritos que praticam, e  desejam demarcar, em relação às religiões cristãs pentecostais, um distância segura daquilo que costumam associar a espetáculos de estelionato da boa fé dos fieis, que buscam milagres como caixas de sabão em pó em algum supermercado.

O que os católicos não dizem, por óbvio, é que toda a liturgia das igrejas evangélicas é um mistura daquilo que herdaram da igreja matriz, a católica, desde o tão mal falado dízimo, as penitências e o assustador exorcismo, popularizado por "bispos" nos púlpitos eletrônicos!

Com o aumento da competição e ameaça a sua hegemonia, a própria igreja católica reincorporou estes trejeitos espalhafatosos, sejam em balouçantes batinas cantoras, seja na histeria da renovação carismática, algo bem parecido com um culto evangélico.

Sabemos que religiões se destinam a um objetivo comum, ou seja, acalmar pobres idiotas que não conseguem conviver com a ideia de que acabarão, e não sobreviverão a este fim. 

Religiões existem para dar a estes pobre débeis mentais a impressão que são uma espécime única, eleita e feita por uma divindade perfeita a sua imagem e semelhança, logo, quase perfeitos!

Mas é divertido ver o tom de seriedade dado a esta estrutura, e não sem razão, afinal, gente morre e mata em nome deste suposto deus, embora eu desconfie que boa parte dos motivos sejam, por assim dizer, bem menos "divinos". 

O jornal inglês The Independent (clique no nome do jornal para acessar a matéria) traz hoje um vídeo do papa chico fazendo um exorcismo, no dia 19 de maio último, após o expediente papal na praça de são pedro.

É verdade que foi um exorcismo tipo light, ou fast-food, realizado na segunda pessoa que o papa atende, e acontece logo após o padre lhe dizer algo. 

Nada comparado aos urros, pulos, e contorcionismos do pessoal da Xô Satanás S/A.

No entanto, é a boa e velha Igreja Católica Incorporation tentando retomar sua prevalência sobre aquilo que inventou, ou melhor, que agregou de outras culturas, e amplificou em dimensões institucionais planetárias e com método empresarial!




Nenhum comentário: