segunda-feira, 29 de abril de 2013

Outras planícies.


O mundo de cabeça para baixo, dia da caça, ou...? 


O fato inusitado: Um soldado do exército do Zimbabwe,  25 anos, que pedia carona próximo a fronteira entre o Zimbabwe e Moçambique, na cidade de Mutare, foi sequestrado e levado a um cativeiro, onde um grupo de quatro mulheres se revezaram em abusos sexuais, roubaram seu telefone celular e 35 dólares.

De acordo com a autoridades locais, o soldado entrou em um veículo Mercedes-Benz, e em pouco tempo estava sendo ameaçado pelo motorista, um homem que usava uma faca, sendo que dentro do carro estavam mais duas mulheres, e uma delas vendaram-lhe os olhos, e o levaram ao local onde se daria o assalto e a violência sexual por quatro delas.

Depois de tudo, foi apedrejado e abandonado ao largo de uma montanha da região.

É certo que a violência sexual é um flagelo, qualquer que seja o sexo da vítima, mas não deixa de ser inusitado que em uma região marcada por machismo, costumes e conflitos que incitam tais práticas em desfavor da mulheres, sejam sejam elas, agora, que "tomem a inciativa".

Por ironia, tudo aconteceu no dia 1º de abril. 

O tipo do fato que parece mentira!




Sobre os meninos e lobos no País de Gales.


Quem viu o filme, já sabe do que se trata, quem não viu, não perca. Com Sean Pean, Tim Robbins e Kevin Bacon em magistrais atuações, trata a película de abusos sexuais na infância, marcas eternas e noções distorcidas de Justiça.
Mas eis que a vida, como sempre, imita a arte.
No Pais de Gales, estão em curso as investigações do que já é considerado o maior escândalo de abusos sexuais contra crianças, e revela um extensa rede de pedofilia naquele país do Reino Unido.

Cerca de 140 pessoas já nominaram 84 agressores, e os ataques ocorreram entre os anos de 1963 e 1992, onde a maioria absoluta das vítimas são do sexo masculino, que contavam entre 7 e 19 anos, na época dos suplícios.

E qual o traço comum entre eles? Todos eram abrigados em instituições para crianças, as chamadas Home Cares (ou casas-abrigo), onde são internadas as crianças em situação de risco social.

Ian Mucalhey, detetive-chefe das investigações, que recebeu o nome de Operação Pallial, e teve início por determinação do Pirmeiro Ministro, David Cameron, após uma confusão sobre uma reportagem da BBC de Londres e supostas falsas acusações contra um lorde local,  disse que 16 dos 84 agressores foram identificados mais de uma vez, e pelo menos seis deles ainda estão vivos, sendo que um já está preso.

Ainda de acordo com o policial, 75 dos 84 são homens, e embora no início apenas uma instituição estivesse sob suspeita, agora 18 outras entidades estão sob a mira da polícia.

E as meninas e os lobos de Guarus?




Os napoleões pobres ou pobre napoleões?


Parecem que são ambas as hipóteses, e distantes do tempo que comandavam a Europa e cercanias, os franceses apertam os cintos da crise do euro, e enxugam sua máquina de guerra.
Le noveau livre Blanc de la Défense (O livro Branco da Defesa), documento governamental de assentamentos estratégicos das forças militares dos comedores de croissant, anunciou que a Marinha vai seguir a linha da distensão nuclear, e não mais expandirá os projetos relacionados a esta tecnologia e outros que não sejam da natureza da arma, como submarinos, porta-aviões e grupos aeronavais.
A Força Aérea vai perder dez esquadrões, e reduzirá cerca de 50 aeronaves.
Mas é a força terrestre (sempre a infantaria é que se f..de) que perderá mais orçamento e postos, cerca de 20.000 de postos auxiliares: intendência, logística, pessoal médico, etc.

A pergunta: Será que não está na hora de comprar uns aviões na bacia das almas? 

Aí, prefeita, aproveita o restinho dos royalties e pede um desconto à vista! 

Quem sabe dá para declarar a independência antes de 2014, entregar a presidência ao maridão, e pedir a FIFA que reconheça o combinado de Rio Branco, Goytacaz e Americano como a seleção do Emirado do Chuvisco para que a gente possa disputar a Copa?



PS: Perdoem minha tradução, que meu francês é bem pior que o meu já sofrível inglês.

2 comentários:

Anônimo disse...

Como vamos comprar os aviões? Suledil não sabe falar Francês...

douglas da mata disse...

A linguagem da "plata" é universal.