terça-feira, 16 de abril de 2013

O carnaval fúnebre das meninas de guarus!

Na Democracia, os excessos não são tão perniciosos quanto a falta de liberdade ou a limitação os meios para exercê-la.

Mas, de todo modo, é preciso enxergar por trás de cada ato, para que saibamos se ali não está, na verdade, um ataque à Democracia, justamente pelo excesso.

As CPI e, modernamente, o recém-descoberto instrumento da Audiência Pública, cada qual a seu tempo, viraram a panaceia, a cura de todos os males.

Banalizados, retiram credibilidade dos seus objetos, e acabam por reforçar a sensação de que em nada resultam.

Durante muito tempo, nesta cidade, todo o tipo de pressão foi feita pela blogosfera para que o Inquérito Policial, apelidado de "Meninas de Guarus" chegasse a seu termo, e pudesse, ou não, ser utilizado como instrumento de denúncia pelo MP.

Não me recordo de ter lido ou ouvido nenhum órgão de imprensa, à época dos fatos, ou grupo político, fazendo pressão, além da blogosfera local.

Pois bem, agora que os fatos estão diluídos pelo tempo, recomeça o carnaval.

E o que é pior: atravessando o samba.

Como fazer audiência pública de algo que é, por natureza, sigiloso, como são os processos e inquéritos que tratam de abusos de menores?

Como fazer audiência se cada envolvido, conhecido ou não, seja lá qual seja seu vínculo, não é obrigado a fazer prova contra si, e sequer comparecer, pois a audiência não tem força de instância persecutória?

Enfim, como esperar algum resultado, se quando os fatos ardiam, nada foi feito, e agora, estão dispersas as testemunhas, vítimas, e autores contam com seus rastros encobertos pelo tempo?

Se na ocasião, a possibilidade de atingir poderosos da terra era pequena, mas não impossível, pelo clamor causado, como pretender o mesmo efeito em contexto muito mais adverso?

Em resumo: a audiência pública proposta pelo deputado RH é mais uma violação (simbólica) da memória destas meninas.

Uma farsa baseada em um roteiro real, e grotesco.

2 comentários:

felixmanhaes disse...

Pútrida cloaca em ebulição. Meu caro Douglas, excelente,como sempre sua análise sobre uma realidade desanimadora do poder em todas as suas instâncias. Só temos a nosso favor o caos. Ele, sim é implacável. Aí, sim os moços viris e absolutos de hoje serão as meninas indefesas de logo mais, a mercê dos monstros que eles mesmos criaram si.

douglas da mata disse...

Companheiro Félix,

Bom vê-lo manifestar-se por aqui, neste pequeno gueto de opinião.

Volte sempre.