segunda-feira, 15 de abril de 2013

Caprilles, direita venezuelana e o PIG latino-americano: derrotados post-mortem.

Nenhum analista sério pode conferir aspecto de normalidade ao processo eleitoral na Venezuela, que teve seu ápice ontem, quando o candidato chavista, Nicolas Maduro, que derrotou por 1,5% ou quase 300.000 votos o seu opositor, Henrique Caprilles.

Não há de se desprezar o desempenho de Caprilles, mas o fato é que: Um candidato por duas vezes, com a enorme vantagem que o recall lhe confere, mediante a fragilidade de um candidato que foi alçado a esta repentina condição pela intempérie fatalista, que retirou do cargo o presidente recém-eleito, Hugo Chavez, e mesmo assim, não ganha, perdeu sua melhor oportunidade.

A chance de Caprilles, e seus cúmplices da direita, era se aproveitar da morte de Chavez para dar fim precoce ao chavismo.

Era tudo ou nada...foi nada!

Assim, a direita venezuelana, e a direita latino-americana, foram derrotadas duas vezes, e agora, por um morto.

A verdadeira análise do quadro político venezuelano só poderá ser realizada com o tempo, ou seja, como se comportará Maduro e o legado que recebe do seu mentor, e como ficará sua base social de apoio.

O resto é choro de mau perdedor.

Tem gente até cantando derrota como "vitória". Será que a síndrome do Vasco pegou neste pessoal?

O segundo colocado é o primeiro dos derrotados...

Nenhum comentário: