sexta-feira, 15 de março de 2013

O papa chico: cortina de fumaça.

Nada mais apropriado que a simbologia do sinal de fumaça para o resultado do conclave(que significa com chave, e por sua vez, conchavo) para determinar o novo chefe da igreja do carpinteiro bastardo.

A fumaça embaça a visão.

O que a mídia internacional tem procurado fazer em relação ao papa chico nada mais é que aumentar a enorme cortina de fumaça.

Independentemente das polêmicas sobre o passado do novo(velho)papa, e suas possíveis ligações com a ditadura argentina, assim como pairavam sobre o antigo papa, o alemão, a suspeita de ter sido simpatizante da juventude hitlerista, o principal ainda não foi dito:

Termos como "faxina", "mudança", "reforma", tendem a anunciar, paradoxalmente, que nada será feito neste sentido, a não ser, as mesmas alterações cosméticas de sempre.

Comemoram os católicos e a mídia simpatizante o estoicismo franciscano do papa, sua simpatia e modos espartanos. 
Ué, esta não seria a obrigação da igreja e de seus chefes em um mundo pontuado por miséria, desemprego e desigualdade? 

Poderíamos então dizer que surpreendente é perceber que todo o luxo, pompa e ostentação do Vaticano  tenham passado "despercebidos" durante tanto tempo.

Cumpriu-se o que estava programado, embora a TV e os "vaticanistas" (?) digam que foi uma "enorme surpresa".

Desde cedo estava claro que o papa viria de onde a igreja ainda é relativamente forte, que não sairia da facção do secretário de estado do Vaticano, envolvido até a medula nos escândalos recentes, e que contasse com a chancela do grupo ligado ao ex-papa fujão.

Em relação a igreja do carpinteiro bastardo, não há esperança.

É hora de acertar as contas com o tinhoso, e ele veio cobrar a conta...Daqui para frente, é só ladeira abaixo.

Mais cem, duzentos anos? Quem sabe? Mas o fato que a derrocada está em curso, como todo império, que apodrece por dentro!

Nenhum comentário: