segunda-feira, 25 de março de 2013

Europa, Chipre e a ideologia do mercado!

No episódio da quebra recente do Chipre, a lógica e a ideologia do mercado financeiro ficaram bem claras!

Nesta lógica, não há possibilidade de que as nações e suas sociedades queiram enfrentar ou encontrar caminhos próprios para debelarem suas crises estruturais, justamente aquelas criadas pela adesão cega as regras deste mesmo mercado.

Enquanto a Grécia sangra a olhos vistos, o Chipre foi prontamente "ajudado", e o preço não foi baixo:

Para receber uma ajuda-emergência de 10 bilhões de euros, o sistema bancário foi fatiado, o segundo maior banco será fechado, e apenas os depósitos, ações, obrigações ou quaisquer outros títulos abaixo de 100 mil euros serão garantidos.

Ou seja, salve-se quem pode, e dane-se o resto.

As matérias estão no El Pais, The Independent e The Guardian.

Em suma, Chipre se lançou ao voo cego: Não saberá o total da "ajuda", nem todas as variáveis envolvidas, muito menos os limites dos cortes e as condições. 

Tudo isto, para um "bem maior", dizem, como sempre, as autoridades monetárias da zona do Euro.

É o total aniquilamento de qualquer mobilização política e social sobre o próprio destino: Esta é a utopia do mercado e de seus asseclas.

Enfim, eu imagino que se olharmos o capitalismo sob uma perspectiva histórica, não há de se falar em crises cíclicas.

Estas "crises" são o próprio capitalismo em funcionamento...só  não enxerga quem não quer, ou, por oportunismo, não quer enxergar...

Nenhum comentário: