quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Os penetras...

Atentos a necessidade de bloquear os movimentos de um partido que encabeça um governo amplamente vitorioso, o PSDB ensaiou tentar estragar a festa dos 10 anos de PT no poder.

yoani no Congresso, antecipação do discurso do écinho das alterosas, e discurso de ffhhcc reclamando das "picuinhas" do PT em relação a ele.

Participei do debate no blog do Nassif com dois textos sobre PT, psdb, ffhhcc e comparações.

Já que eles querem fazer parte da festa, ainda que como penetras, vamos dar-lhes o lugar correto:

Voo PSDBrasil Real X Primeiro Mundo, com escala no Consenso de Washington
Lieutenant Malan: Sir, estamos a 1994 pés, o voo está estabilizado, mantenho curso, roger?
Brigadier FHC: Ok, Lt Malan, mantenha o curso.
Lt Malan: Ok, sir, mas nivelar com real a um dólar vai acabar com nossas condições de voo mais tarde...roger that?
Bg FHC: Temos pára-quedas?
Lt Malan: só para nós, do Estado-maior e a primeira classe.
Bg FHC: pau na máquina, roger that?
Lt Malan: yes sir, roger that...

..............................................................................

Lt Motta, Sérgio: Sir, estamos com peso demais e a 1998 pés. Nosso gasto de combustível está no limite, roger?
Bg FHC: Lt Motta, livre-se dos trens de pouso estatais, das indústrias-radares, dos assentos-servidores públicos, e dos tanques extras de combustível-reservas, roger?
Lt Motta: But, sir, não é melhor nos livramos da carga excessiva dos juros primeiro?
Lt Motta: Sir...sir...está me ouvindo... já estamos no limite da irreponsabilidade, o combustível-reservas pode nos fazer falta, roger?
Bg FHC: Motta, it's a direct order, forget all that stuff I wrote aboute...Jogue tudo no mar...roger? Mantenha os juros, mantenha os juros...goddamned...
Lt Motta: Ok, sir, roger that!

.............................................................

Capitain Franco, gustavo: Sir, estamos a 2001 pés, enfrentaremos turbulências, está difícil estabilizar o voo não há mais nada a jogar fora, o gasto de combustível é absurdo, não temos reserva, e estamos começando a cair, roger that?
Bg FHC: Capitain Franco, chama o Major Loyola...vamos voar raso, estamos só no visual, procure as constelações Wall Strett, ou outra qualquer...oh, shit...oh, shit, eu não consigo nivelar...
Capt. Franco: Sir, torre de Washington no rádio...
Bg FHC: Prossiga Uncle Sam..aqui é papa, sierra, delta bravo...
Washington controle: Tudo bem PapaSierraDeltaBravo?
BG FHC: Hei man, tudo bem...estamos com pequenos problemas, mas vamos superar, mas don't worry, os juros estão à salvo...
WC: Holy god...well done PSDB...bring them home, bring them home...Se tiver problemas jogue tudo fora, waste it all, but não jogue os juros no mar, roger that?
Bg FHC: roger that.
WC: mandaremos o avião-tanque FoxMikeIndia, roger that?
Bg FHC: FMI, ok, roger.
FHC: Chame o sargeant serra...sgt serra, olha meu filho só tem para-quedas para o estado-maior e os amigos da primeira classe, nós vamos saltar, você vai ter que pilotar sobre o mar das eleições...
Bg FHC: Ok, ok, roger that...chame o apoio aéreo do FMI, o avião-tanque, roger that?
Lt Malan: Roger that, sir...eles dizem que só vão liberar combustível se aliviarmos o peso...
Lt Loyola,  cap. franco e  sgt serra: What now, sir, não temos mais nada para jogar no mar...
Bg FHC: Malan, onde estamos, where the hell we are?
Lt Malan: sobre o mar do desemprego e da miséria, e caindo sir...
FHC: Malan...o que tem para jogar no mar, roger?
Lt Malan: Sir, apenas os pasageiros, os brasileiros, sir...
Bg FHC: Jogue-os no mar do desemprego, right NOW, roger that?
Lt Malan: Yes, sir...
Bg FHC: Ok, boys, let's go now...vamos pular, apanhem os para-quedas...agora é com você sargeant serra, we're counting on you...
Sgt serra: ô, shit...

Em 2002, boa parte da população que estava no vôo PSDBrasil Real estava a deriva perto dos destroços do aeroplano que foram jogados ao mar junto com eles. Parte deles foi devorado pelos tubarões capitalistas. Quem ficou no avião tomou o controle do sgt serra, e obrigou o avião a pousar no aeroporto Lula-lá. Os que estavam no mar foram resgatados pela Fragata PT, cujo comandante dirceu os levou ao porto seguro mais próximo, onde embarcaram, inclusive os sobreviventes que estavam no mar do desemprego e da miséria até 2010, onde embarcaram com a comandante Dilma, a maioria na classe executiva, já que uma enorme parcela deixou a classe econômica.
Durante a passagem pelo território hostil dos demotucanos encolhedores de cabeça, os tripulantes zé dirceu, genoíno entre outros foram abatidos pelas baterias anti-aéreas da mídia, STF, e PGR.

E outro:

FHC, as picuinhas, a História e a luta política.
FHC é um boboca, mas é um boboca sedutor, intelectual, e que já foi presidente. Isto não é pouco.
O problema principal de FHC é imaginar que ele possa determinar tudo com suas "qualidades", inclusive o nível de compreensão da realidade dos outros.
Este é um cacoete comum na Academia.
Eu só me assusto ao ler aqui, em alguns comentários de pessoas que aprendi a admirar, e melhor, a situar em campo político similar ao meu, que FHC está certo em reclamar das "picuinhas".
Não, para minha rasa e cretina opinião, ele não está.
O que ele chama de picuinha é luta política, legítima, transparente, e que desmascara toda a sorte de tentativa de mascarar os fatos, e de usar meios desproporcionais (mídia) que dispõe para favorecer sua posição, fingindo que estamos todos sob o mesmo patamar no debate, e que ele, FHC, se considera no mesmo nível dos que querem se comparar com ele.
O que ele chama de picuinha é História.
Não FHC não se imagina em nível semelhante a ninguém que não seja ele, e por isto que não há debate ou chance de comparação, e tudo que se dirige a ele é picuinha, mesquinharia, coisa menor de gente menor.
A mídia ecoa FHC. Até porque mídia e FHC são causa e efeito um do outro.
Mas vamos as picuinhas:
É MENTIRA, por onde quer que se olhe, que FHC deixou o país estável, mas respeitado!
Isto não é (só) "torcida", ou posição/opinião político-partidária, são fatos, dados, números, e boa parte desta desestabilização cobrou de Lula tempo e esforço para estabilizar o país para então, começar a governar.
O PSDB tem certeza disto, e por isto vacila tanto em defender este período, ainda que conte com amplos espaços na mídia para colocar esta posição. Sequer fizeram estas declarações no momento mais importante para o PSDB, as eleições de 2002/2006 e 2010.
Ao contrário, çerra se disse mais um "zé" do que çerra, tentando ser mais Lula que o prórpio Lula. Não colou, sabemos todos. Menos FHC.
Em 2002, estávamos à beira do abismo, como dólar em disparada, sem reservas, juros na estratosfera(mais de dois dígitos), crescimento zero, desemprego, concentração brutal de renda, inflação em alta(mais de dois dígitos), um papagaio de US$ 40 bi com FMI, relação dívida PIB acima de 55%, enfim, pagávamos o preço da chamada "estabilização", que nada mais foi que uma arrumada cambial e monetária(juros) para a festa da ciranda de Wall Street.
Para manter seu populismo cambial(e claro, a farra dos juros que nos estuprava cotidianamente), FHC e seu pessoal vendeu até a mãe, e acabou com toda a indústria nacional.
O choque neoliberal de Chicago, a expansão de fluxos para enxugar a liquidez doméstica dos EEUU, Europa, colocando os capitais para engordar nos países-pasto(como Brasil) e depois, na hora da "seca", retirava-se a boiada para seus países de origem.
É esta única bandeira que os bobocas do PSDB defendem, e que nem era deles. Muito menos controlada por eles.
Não se tem notícia de uma vaga em uma Universidade Pública. Nenhuma escola técnica aberta no período 95-2003.
Em política externa o Brasil não era consultado, nem ouvido para nada, e a lenda dos sapatos ainda assombra Lampreia.
Claro, vai ter gente aqui(do tipo AA) que dirá que o procedimento não era para entrar no EEUU, mas em algum vôo.
Mas é engraçado perceber que a versão possa ter superado o fato, principalmente junto a mídia que sustentava a subserviência dos nossso Lampreia-boys junto a Casa Branca.
De todo modo, isto é o que ficou registrado, tendo menos importância, para efeitos políticos, o fato do que a percepção de que o Brasil vivia de joelhos e lambendo as botas do Tio Sam.
Alguém imagina uma história destas com Amorim, Patriota, ou Garcia? Colaria?
Então, eu pergunto, de novo: onde está a possibilidade de considerar que este "legado" possa ser adotado com signo de continuidade, ou de melhora em relação ao que se tinha antes?
No aspecto moral? Com a privataria, com a compra da reeleição, com o "limite da irresponsabilidade"?
Com o caso SIVAM e Raytheon/Unisys?
Por causa do Renan? Mas Renan era o Ministro da Justiça de FHC.
Eu até gostaria de imaginar que o governo FHC tenha sido aquilo que ele tenta nos convencer que foi, e que nós somos a "evolução" democrática em relação a ele, aproveitando o que havia de bom.
Mas eu deixei de acreditar em coelhinho da páscoa, e não gosto de paulo coelho.
Sei apenas de uma coisa: o enorme esforço de FHC para lembrar o que ele acha que foi é diretamente proporcional ao que ele foi de verdade: Um desastre.
Quanto aos que perguntam: E Lula em 89 ou 94 faria melhor?
Olha, se está difícil fazer FHC e a tucanada aceitar as comparações com o que ocorreu, dois(três) governos que existiram (FHC, Lula/Dilma), como a gente aceitar comparar hipóteses irrealizáveis?
Troço meio doido, não?
Quando FHC e os PSDBistas disserem a verdade (que eles devastaram o país), quem sabe a gente possa admitir que talvez Lula em 89 e 94 pudessem ser uma catástrofe.
Embora, para efeitos práticos, não sirva para muita coisa.




4 comentários:

Anônimo disse...

ECO-IMPERIALISMO
Ações do documento

“REDE” organizada por Marina é para conectar intensamente Brasil aos EUA

O novo partido político organizado pela ex-senadora Marina Silva para viabilizar sua candidatura ao Planalto em 2014 vai tomando forma e já tem até nome: REDE. Trata-se de uma tentativa para enganar incautos, tentando fugir do estereótipo de um “P” na sigla da nova legenda eleitoral. Mas, para quem saiu recentemente do PV anunciando a falência dos partidos, Marina foi bem ágil em tão pouco tempo para registrar um partido eleitoral nos mesmos moldes institucionais das velhas agremiações burguesas tradicionais. Acontece que a farsa do “Movimento por uma nova política” impulsionado por Marina e sua anturragem de ex-petistas vendidos tinha um objetivo bem definido, ou seja, a próxima disputa presidencial e para isto já contava com grandes recursos dos “verdes” dólares da oligarquia financeira imperialista. Sob a maquiagem da defesa da ecologia e de uma “nova política” setores da burguesia ianque pretendem utilizar Marina para estreitar os vínculos econômicos de dependência do país a combalida economia norte americana, descontentes com uma relativa guinada que os governos da frente popular operaram em relação a China e seu cinturão de relações comerciais. O Brasil tem hoje nos BRICs sua principal corrente de transações econômicas, incluindo exportações de commodities para a Ásia e investimentos diretos no país, fato que tem irritado a Casa Branca. Marina tem recebido uma forte logística do imperialismo para se postular como uma alternativa de poder aos governos do PT, ainda mais reforçada com a falência precoce da oposição Demo-tucana sem nenhuma chance eleitoral para 2014. Não foi pela “defesa da floresta da Amazônia” que Marina foi o destaque político da abertura das olimpíadas de Londres em 2012, e tampouco é a “luta ecológica” o móvel do pesado financiamento internacional recebido pelo “Movimento Nova Política”.

Marcelo Siqueira disse...

O que é que o povo tem em comum com o psdb? Eles são brasileiros, não desistem nunca.

Marcelo Siqueira disse...

Conclusão: É o partido mais brasileiro de todos.

Anônimo disse...

Já que o anônimo aí de cima falou na Marina, vou completar com uma suspeita minha.
De fato a ex-ministra não tem nada de ambientalista. Sua participação na demarcação das reservas indígenas, principalmente Raposa Serra do Sol, foi estratégica para a corôa britânica que é quem controla o nióbio brasileiro através da sua bolsa de metais (London Exchange Metal). A Inglaterra determina o preço deste valioso recurso quase que exclusivo brasileiro há anos. Hoje é processado em Araxá (MG) onde uma mina gigantesca dos americanos foi dada de presente anos atrás ao então embaixador brasileiro na América, Walter Moreira Sales dono do Unibanco. Tá, não foi bem presente... tem mais coisa nesta sociedade.

A reserva RSS tem um potencial de nióbio ainda maior que Araxá e na gestão da ecológica Marina Silva o Brasil assinou o tratado que permite que uma reserva indígena tenha total soberania, como um país independente. Para "proteger nossos amados silvícolas", a reserva pode vir a ser um país à parte, sem interferência política do Brasil.
A Rainha da Inglaterra sabe disso. Tratou de convidar a nossa morena para a abertura das olimpíadas porque sabe que a maioria é a favor dos ambientalistas. A maioria quer preservar o meio ambiente.

A maioria é composta por idiotas. E alguns são mais idiotas que outros, como dizia Nelson Rodrigues. A democracia deu ao idiota a percepção que ele é a maioria. Antes vivia sua vida chinfrim, agora sabe que manda...