quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

É tempo de começar a travessia do deserto.

Diz o ditado que há a época de atravessar o deserto e comer um saco de sal. O sofrimento atroz simboliza os tempos quando as vacas começam a emagrecer.

Pois é, o secretário de ambiente do Estado Carlos Minc ratificou o que todo mundo sabia, mas só o senhor X e seus midiotas negavam.

Multas da Receita.

Investigação da CVM.

O blog teve acesso aos processos que correm na Comarca da SJB, onde proprietários rurais questionam, via seus advogados, a anulação dos decretos de desapropriação, pelos motivos que o blog já citou: o desvio total do objeto que deu causa ao decreto de desapropriação, e mais, o Estado do RJ não poderia exarar um decreto, pois o ato não era de sua atribuição, mas da municipalidade.

Pois é, o sal que eles salgaram a terra, parece que vão ter que carregar na travessia.

Leiam o post do blog do Pedlowski:

Agora é oficial: ex-ambientalista Carlos Minc confirma salinização no Açu!



Demorou um pouco, mas o ex-ambientalista Carlos Minc, atual (des) secretário estadual de Meio Ambiente, teve de vir a público reconhecer que as obras do Porto do Açu resultaram num processo de salinização na região do V Distrito de São João da Barra.

Duas coisas esquisitas neste reconhecimento:

1. As medidas feitas pelo Laboratório de Ciências Ambientais da UENF não encontraram salinização do lençol freático, mas das águas superficiais. 

. O ex-ambientalista ainda está "analisando os problemas para ver se cabe ou não multa". Como assim, não sabe ainda se cabe multa? Ora, bolas, está claro que cabe multa e das grandes!

om, agora vamos ver o que falam aquelas vozes duvidosas que vieram à público para colocar em dúvida a capacidade científica e moral dos pesquisadores do Laboratório de Ciências Ambientais da UENF. Cabe, pelo menos, um pedido público de desculpas! Quanto antes, melhor!


RJ estuda exigências para barrar salinização no Porto do Açu

Por Diogo Martins | Valor

RIO - O secretário estadual do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, disse que na próxima semana serão anunciadas medidas para que a LLX, que conduz as obras do Porto do Açu, em São João da Barra, Norte fluminense, se adapte a normas ambientais. Minc afirmou que procedem as denúncias feitas pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) de que as obras no porto estão gerando problemas de salinização no lençol freático da região. A LLX corre o risco de ser multada.

“Mandamos uma equipe até a região onde se localiza o porto, comandada pela Marilene Ramos [presidente do Inea] e foram constatados problemas de salinização”, afirmou Minc. “Estamos analisando os problemas para ver se cabe ou não multa”, disse ele.

O problema de salinização no lençol freático, afirmou Minc, pode comprometer as atividades de pesca e agricultura em São João da Barra. O anúncio, segundo o secretário, será 

FONTE: 
http://www.valor.com.br/empresas/2972036/rj-estuda-exigencias-para-barrar-salinizacao-no-porto-do-acu#ixzz2I9mt8uTa

Nenhum comentário: