quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

A maldição dos Inconfidentes de SJB.

O crime dos produtores rurais do V Distrito de SJB?

Confiaram na Justiça, na Constituição, no bom senso, enfim, no princípio que dá aos mais fracos os meios proporcionais para enfrentar os interesses dos mais fortes!

Tal e qual os inconfidentes mineiros, lá no século XVIII, confiaram na sua capacidade de revoltarem-se contra o jugo opressor.

E tal e qual o mártir mineiro, Tiradentes,  os sanjoanenses tiveram sua terra salgada!

Foi esta a mensagem da Corte Portuguesa a população mineira: Tornaram a terra do alferes improdutiva para sempre.

Salgar a terra é, simbolicamente, dizer para sempre que os descendentes do dissidente deverão sofrer os percalços da afronta ao poder.

É a sentença que ultrapassa a sentença.

Como as decapitações, que também significavam a morte após a morte.

Em SJB, os inconfidentes experimentam a mesma maldição!

Sal na terra para que se lembrem enquanto seus descendentes habitarem o V Distrito de SJB, que a maldição do capital é eterna!


3 comentários:

Anônimo disse...


Eike Batista e o “X” de R$ 200 milhões

Aproveitando-se de uma Lei especifica para empresas que trabalhariam em prol de viabilizar obras do interesse da próxima Copa do Mundo, Eike Batista tomou R$ 200 milhões do BNDES dizendo que reformaria o Hotel Gloria para o evento.

Dois anos após o que deveria ter sido o inicio das obras, descobriu-se que os 231 quartos do hotel não estarão disponíveis a tempo para o Mundial.

Ou seja, o Rei dos Milionários, pelo menos para a mídia, pegou dinheiro a juros quase inexistentes, recurso público, e não utilizou, pelo menos adequadamente, para o fim proposto.

Cabe agora ao Governo, seu principal facilitador, exigir o retorno dos valores aos cofres públicos ou uma contrapartida social que justifique o investimento.

Senão ficará difícil não acreditar que o referido empréstimo, na verdade, tratava-se de mais inexplicável “X” no Tesouro Nacional.

Anônimo disse...

O DOUGLAS TORCER PARA O PORTO NÃO VINGAR PORQUE ELE É "DA MATA".Sr DOUGLAS POR QUE VOCÊ É CONTRARIO AO CRESCIMENTO DA OBRA "HOMEM"?TRABALHO NA GE, E PRA MIM SERIA UMA OPORTUNIDADE PARA OS NOSSOS ENGENHEIROS E TECNICOS NÃO DEPENDER MAIS DE TER QUE EMBARCAR OU IR TRABALHAR TODOS OS DIAS EM MACAÉ.VOCÊ GAROTO DEVE SER UM PLAYBOIZINHO CRIADO EM BERÇO DE OURO E NO COLO DA VOVÓ NÃO TEM NOÇÃO DO QUE É A ROTINA ESTRESSANTE QUE ESSES DOIS GRUPOS DE TRABALHADORES SUPORTA, TER QUE DEPENDER DA PETROBRAS.NÃO ME VENHA VOCÊ DIZER EM QUESTÃO AMBIENTAL,POIS A PETROBRAS É UMA POLUIDORA DO INFERNO E EXPLORA CADA VEZ MAIS A MAO DE OBRAR DE SEUS FUNCIONARIOS E DOS TERCEIRIZADOS COMO EU.O PRÉ SAL ESTA AI,E EU PREFIRO TRABALHAR PERTO DE CASA DO QUE TER IR TODOS OS DIA AS 4:30 PARA MACAE OU EMBARCAR.
ENTAO SENHOR "DA MATA" PARA DE CRITICAR ALGO QUE VOCÊ NÃO DEPENDE!!!

douglas da mata disse...

Comentarista das 06:07, vamos por partes, como diria o jack, o estripador:

Comentários em caixa alta são ofensivos, porque significam gritos na ética da blogosfera, portanto, só publiquei este excremento que você enviou para lhe dar a exemplar "chinelada".

Mas da próxima, não passará.

Então, sigamos:

Débil mental, eu não sou contrário a obra alguma, e nem a investimento algum. Eu sou funcionário público e vivo do aumento dos impostos, que, de certa forma, aumentam com a dinâmica da economia, mas ao contrário dos idiotas, não penso só em mim.
Porque como policial civil sei que os impactos sócio-ambientais(e não só ambientais, imbecil)são enormes, e acabam por dissolver todo o ganho fiscal(tributário) que possam trazer, com aumento exponencial dos gastos públicos, para que imbecis como você possam "trabalhar perto de casa".
Perto da "mamãezinha"? Nenê tá com medinha de viajar? Depois eu é que sou o palyboy, rsrs...

É preciso, e NÃO FOI FEITO, que os impactos destes investimentos sejam cuidadosamente avaliados, dentro de ações e previsões estratégicas para que tais portos, obras, fábricas, etc, não se transformem em CAVALOS DE TRÓIA.

É o estado, o público, o interesse e bem estar social que submete o investimento privado, ó beócio, e nunca o contrário...

Não é preciso te dizer o que está acontecendo com a CSA, do Tyssen Grüpp, e a merda que fizeram por lá.

Nem os problemas que a Anglo American vem enfrentando em MG.

E tantos outros exemplos de empreendimentos de escala que desfiguraram regiões inteiras, para depois abandoná-las como cidades fantasmas.

Cretino, eu não preciso declinar minha biografia pessoal, e nem minha origem para debater com você, mas é de rir a sua rotulação idiota, aliás, quase todos que procuram medir os outros pela sua visão de mundo fazem papel de tolo como você.

Outro ponto: é justamente por eu não "depender", embora eu já tenha lhe dito que os impactos me afetem onde quer que eu trabalhe, é que eu posso, e DEVO, goste você ou NÃO, dizer o que penso.

Porque cretinos como você estão amarrados pela coleira, ou seja, "dependem", e nunca poderão enxergar algo mais que suas necessidades fisiológicas.

Em tempo:

Se não gosta das minhas reclamações, vá ler a veja ou o material de propaganda da GE ou do senhor X.

Se não gosta de acordar cedo e viajar para trabalhar, nenê da mamãe, estude e arrume outro emprego. Ou junte dinheiro, compre uma casa por lá, e suma daqui, porque gente burra igual a você já temos de sobra...