quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

AMPLA $/A: Lucros amplos, transparência restrita!

Não me recordo, nos meus quarenta e poucos anos de vida, de um corte geral de energia para realização de reparos e manutenção preventiva(?).

Não duvido da necessidade, mas a total falta de transparência no comunicado (restrito), que se limita a dizer o horário, e mais nada, deixa uma série de dúvidas no ar.

Em se tratando de um insumo sujo fornecimento é considerado essencial a vida humana, assim como a água, amplia-se(sem trocadilho) a imposição de explicações detalhadas.

Um corte desta magnitude não pode ser anunciado com tão pouco prazo de antecedência, e mais, sem que todos os motivos estejam esclarecidos, inclusive para que os consumidores possam questionar a forma como foi feito, e mais, para que tenham tempo hábil de reordenar suas rotinas, que como mencionamos, dependem do fornecimento de energia elétrica.

Cabe ao Ministério Público da Tutela Coletiva interceder, já que outras esferas políticas (como a moribunda Câmara Municipal), ou administrativas municipais(procon), e estaduais e federais(agências de serviços públicos e ANEEL) parecem dormir no berço na inércia.

Só depois de revelada a necessidade técnica imprescindível é que uma interrupção destas pode ser aceita.

No mais, fica a estranha sensação de que as distribuidoras de energia, refratárias a mudança de regulação no setor, já aprovada, preparam-se para pequenos  e ligeiros incômodos, como o fim duplo de desgastar o poder político regulador que atacou seus enormes lucros, e na outra ponta, preparar o campo das justificativas de futuras ações judiciais, questionando a impossibilidade de sustentação do novo modelo que entrará em vigor!

O único remédio para a desconfiança é a total e irrestrita transparência!


Nenhum comentário: