segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Chico Science & Nação Zumbi, o gênio em movimento!



Não há nada na cena musical recente brasileira que se pareça com o impacto causado pela explosão do manguebeat recifense, ou melhor, pernambucano, que reunia os manifestos das populações excluídas daquelas periferias nordestinas, que mantinham seu legado cultural que lhes dava voz, o maracatu e seus traços regionais.
Adiantando-se a seu tempo, como se entrasse em uma máquina movida a criatividade e talento, Chico Science disse o que estava por vir, e o que uma vez chegado, se manteria em movimento como possibilidade de integrar o perto e o longe, mas fincado na raiz improvável do manguezal na lama.

É raro o dia que eu não renove minha devoção a Chico Science & Nação Zumbi, ouvindo Afrociberdelia e Da Lama ao Caos, este último, o álbum que ejetou os homens-caranguejo na mesmice cultural do sul maravilha, alheio ao que se passava com os irmãos do norte, a não ser pelas lentes dos estereótipos fáceis e as reduções massificadas e embaladas para o consumo em larga escala.

"Um passo à frente, e você não está mais no mesmo lugar..." disseram. Nada ficou mais no mesmo lugar!

Impossível não se emocionar com o vigor da batida e as distorções, emolduradas por lirismo de encantamentos embolados e cordéis.

Impossível não lamentar as possibilidades deste fenômeno neste novo momento deste país!


Aueia..aê...

Um comentário:

Zuza Zapata disse...

Oi, achei a postagem enquanto procurava sobre Nação Zumbi.
Muito boa! Legal o blog.
Abraço,
Zuza Zapata
www.zuzazapata.com.br