sábado, 6 de outubro de 2012

Boca fechada não entra mosca...nem sai merda lá de dentro!


“Las leyes son como las mujeres, están para violarlas” (As leis são como as mulheres, existem paras que as violemos). Por José Manuel Castelao Bragaño- Presidente do Conselho Geral de Cidadania no Exterior, vinculado ao Ministério do Emprego da Espanha).

Está aí uma daquelas frases que nunca deveriam ser ditas, mas que depois de proferidas marcam seus autores para sempre, de forma indelével.

Os detalhes você lê na matéria do El País, aqui.

Em resumo: tudo aconteceu durante uma reunião onde era necessária certa quantidade de votos para uma deliberação, como o impasse não se resolvia, Castelao Bragaño, que fora nomeado para presidir o conselho na última segunda-feira, disse para que se desprezasse a norma, sacando seu raciocínio que mistura desprezo as regras e pior, a liberdade sexual das mulheres.

Diante da pressão e repercussão do evento, "demitiu-se" na terça-feira.

Mais ou menos como a frase do Maluf ("estupra , mas não mata), e de outros tantos por aí.

Nem serve a desculpa que as frases estão fora do contexto. Quem ocupa cargos públicos, de larga exposição,  cujo discurso traz forte carga simbólica, deve fazer o óbvio: pensar antes de falar.



Um comentário:

George AFG disse...

Infelizmente aqui tbm é assim o Estado Brasileiro é o agente q mais desrespeita sua própria Constituição por ex... Nem preciso falar nos dados sobre a violência contra as mulheres... Quanto ao cerne do texto o agente público não pode falar antes de pensar...