sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Não estamos no fundo do poço...porque o poço não tem fundo!

Parece que se o Ministério Público e a Polícia quiserem, há farto material a ser investigado nas "aplicações" feitas pela prefeitura.

Como dissemos, não se trata apenas dos recursos do PREVICAMPOS, mas do próprio orçamento.

Recebi e reproduzo uma informação sobre as aventuras financeiras dos "especialistas" do governo atual, e os desvios que podem ter gerado, leiam:


"Além do Cruzeiro do Sul que o BC decretou hoje a liquidação extrajudicial do Banco Cruzeiro do Sul há outros vazios.

(...)

colocaram dinheiro numa corretora que faliu: 
ATRIUM S/A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS, 
CNPJ 62.122.718/0001-08 e ATRIUM PARTICIPAÇÕES, CONSULTORIA E ADMINISTRAÇÃO LTDA.

(...)
há um processo na TJ-SP que fala da falência e de um processo onde a PMCG é credora mas não fala o valor.

Veja nos links abaixo:


Veja que há outras prefeituras com crédito semelhantes nesta "Financeira". A maioria em Fundos de Previdência.

A informação que tenho de outra fonte é que no caso da PMCG teria sido dinheiro do orçamento que foi aplicado. Veja que o rombo total da Atrium é de R$ 115 milhões.

Porque não sabem ou não querem mexer com isto?

A fórmula parece a mesma, aplicação por valor de mercado e os juros extras na caixinha... mas...

Seria preciso saber a data certa destas confusões.

A perda pode ter a ver com aquelas baixas no caixa quando atrasaram pagamentos e as receitas dos royalties indicavam que haveria dinheiro em caixa.

Parece que na contabilidade da PMCG (Fazenda) teriam lançado com dinheiro a ser recuperado e devem se referir aos processos.

E o MP?

A oposição?

Nenhum comentário: