segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Educação reprovada.

O blog do Roberto Moraes se notabiliza por trazer dados que escancaram as mentiras contadas pelos governantes municipais.

No tocante à Educação Pública, com o auferimento do pior índice no IDEB, revelou-se o que há muito todos suspeitavam: Não há política pública digna deste nome.

Ainda que aceitemos o fato de que um ciclo na educação reflita erros de 10 ou 15 anos atrás, de nada adiantará, pois sabemos que este modelo aí está por 20 anos, inclusive com revezamento das mesmas gestoras, com raros intervalos. O modelo garotista de (falta) de gestão matou e enterrou o ensino municipal como indigente.

Improviso, desencanto profissional dos educadores, utilização da escola como feudo partidário, contratações precárias, e agora o último dado:

Gasta-se mal e pouco. Leia a tabela divulgada pelo blog do Roberto.

Qual é a justificativa senão a escolha política?

Nesta cidade, os governantes escolhem gastar muito pouco com educação e esperam um resultado fantástico.
Sei que os governantes atuais são religiosos, mas neste caso, com todo respeito, não há milagres.

O estranho que estes governantes pagam pequenas fortunas para educarem seus filhos em caríssimas escolas particulares, pois sabemos que boas escolas custam caro. Estes mesmos governantes, e zelosos pais de família, entendem ser possível fazer Educação Pública dos filhos dos eleitores pobres com pouco dinheiro.

Estes mesmos governantes remuneram estas mesmas escolas particulares, terceirizando e privatizando sua função estatal de prestar um ensino público de qualidade, com bolsas que em muito superam a média de gasto anual per capita nas escolas municipais.

Sabemos que há escolas (não todas, é verdade)que utilizam tarifas superfaturadas, e matrículas fantasmas, o que poderia ser verificado com uma auditoria independente.

Ou seja, o custo de um aluno no programa de bolsa é muito maior, como dissemos, que o custo de um aluno na rede pública.

E para ser professor estatutário de uma escola municipal o profissional faz concurso (quando tem) e disputa uma vaga com dezenas ou centenas de outros candidatos, enquanto na escola privada, basta ter estômago para bajular filhinhos de papai, e suportar toda sorte de autoritarismo dos donos de escola.

Em resumo, não é à toa que a Educação nesta cidade é um desastre.

Atualização: 4.481/ano/per capita dá menos de 400,00/mês/per capita. Considerando as melhores escolas da cidade, que custam em média entre 700,00 até 900,00 por aluno, e o fato de que a prefeitura fornece alimentação, uniforme, material didático, e em alguns casos transporte, dá para notar o quanto se gasta pouco com educação nesta cidade, ainda que computemos a enorme margem de lucro dos donos de escolas.

2 comentários:

Anônimo disse...

E o pior de investir pouco, é gastar mal. Enquanto o IFF investiu mais de 10 mil/aluo em 2011 (segundo comentarista do Blog Roberto Moraes) nossa prefeiturinha investe menos da metade. Tirando o desvio, que é grande, acho que não chega nem a um terço. Cruzes!

douglas da mata disse...

Caro comentarista,

Eu nem considerei os preços superfaturados, o desperdício das terceirizações e etc.

É bem provável que sua estimativa esteja bem próxima da realidade.