sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Blasfêmia.

No reino das "santidades duvidosas" e dos "moralistas de ocasião", algumas frases têm o poder devastador das ofensas aos "dogmas". Pecados imperdoáveis.

Como eu nunca fui santo, dou de ombros...

Não há dúvidas que este blog está no campo político oposto ao da prefeita e seu marido. Bom, eu não duvido disto, e no fim, é o que importa...

Mas a coerência nos obriga a dizer que sua cassação pela ficha limpa é um episódio grotesco, pelos motivos que já expomos no texto Constituição estuprada.

Ainda que improvável, e se a sentença definitiva for absolutória e anular o teor da sentença provisória que cassou seus direitos políticos?

Como conviver com o fato de que a, SUPOSTAMENTE, preferida pela maioria foi impedida de concorrer, e depois soube-se ser ela inocente?

Como fazer com a vontade popular?

Será legítimo o mandato do candidato que ganhar?

São estas perguntas que devemos nos fazer, e nunca esquecermos que a violação das garantias não atingem apenas nossos adversários.


Nenhum comentário: