sábado, 11 de fevereiro de 2012

NOTÍCIAS DE GREVE!

PELO QUE LI E OUVI POR BOA PARTE DOS COMENTÁRIOS AQUI, A QUESTÃO DA LEGALIDADE É PRIMORDIAL.

É PRECISO QUE SE DIGA: O GOVERNO MENTE E MANIPULA, POIS ESTA MESMA LEGALIDADE NÃO É CUMPRIDA NO DIA-A-DIA:

VIATURAS SEM VISTORIA E CRLV(E VOCÊ CIDADÃO TEM SEU CARRO REBOCADO).

POLICIAS SEM CARTEIRA CNH  CATEGORIAS "D" OU "E", DIRIGINDO CARROS DE EMERGÊNCIA, O QUE A LEI 9503 VEDA.

E MUITOS OUTROS "IMPROVISOS" QUE SOMOS SUBMETIDOS E ACEITAMOS FAZER PARA NÃO PREJUDICAR O CIDADÃO.

POIS BEM, DEPOIS DESTA GREVE, NÃO IMPORTA O RESULTADO, NÓS POLICIAIS VAMOS CUMPRIR TUDO O QUE MANDA A LEI, SEM EXCEÇÃO, E QUEM SABE O CONTRIBUINTE PASSE A ENTENDER O PROBLEMA E COBRAR DOS SEUS GOVERNANTES, POIS SE HOJE O SERVIÇO JÁ É PRECÁRIO, SE FIZERMOS O QUE MANDA A LEI, VÃO DEMORAR "MESES" PARA FAZER UM SIMPLES REGISTRO.

LEIA O QUE  O SINDPOL INFORMA SOBRE OS POLICIAIS MILITARES NO ALEMÃO:


sábado, 11 de fevereiro de 2012

Proibidos de fazer greve, policiais militares cumprem a lei!

Para evitarem punição, PMs do Complexo do Alemão fazem operação padrão em delegacia (matéria adaptada)*
11/02/2012 - 16h
Policiais do batalhão de campanha do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, encontraram uma maneira de aderir à paralisação da categoria sem serem punidos.

Para evitarem a punição, os policiais do batalhão realizavam no início da tarde deste sábado (11) uma operação padrão. No caso do Alemão, os policiais militares, que são responsáveis pelo policiamento do entorno das comunidades – já que internamente quem faz o policiamento é o Exército – os PMs pararam dez motos e seis vans irregulares e levaram para a delegacia, a 22ª DP (Penha).

Como a delegacia está operando em GREVE, com poucos policiais atendendo ocorrências, os PMs disseram que terão de ficar parados na delegacia durante horas, tempo suficiente para fazer o levantamento sobre a situação de todos os veículos apreendidos e os motoristas verificados.

- Com isso pelo menos 15 viaturas deixam de fazer o patrulhamento. É a forma que encontramos de participar [do movimento]. Não temos culpa que o Estado não possui estrutura para atender a população com qualidade quando cumprimos a lei sem inventarmos jeitinhos para melhorar a situação da população.

Segundo um policial, durante a madrugada os PMs do batalhão não saíram para fazer patrulhamento e só deixariam o local para atender ocorrências graves, o que não ocorreu na madrugada deste sábado (11).

O batalhão de campanha fica uma antiga fábrica de refrigerante que atualmente também abriga a sede da Força de Pacificação e uma base da 22ª DP. Por lá a estrutura de trabalho é precária e após denúncias nada foi feito.

A reportagem do R7 procurou a assessoria da PM para repercutir as informações dos policiais, mas, até a conclusão deste texto, ninguém enviou resposta.

FONTE: R7 (*apuramos a ocorrência e adaptamos o texto segundo informações verídicas repassadas pela delegacia da área).

2 comentários:

Anônimo disse...

SÃO PAULO - A greve dos policias e bombeiros do Rio de Janeiro iniciada na madrugada desta sexta-feira, 10, repercutiu na imprensa internacional, que destacou a proximidade do início do carnaval.

Para o 'New York Times', a greve ameaça "a festa mais importante do país: o carnaval". O jornal norte-americano lembra a polêmica em torno dos altos salários do Judiciário e fala na "grande discrepância de pagamentos no setor público".

O jornal britânico 'The Guardian' afirma que "as preparações carnavalescas foram ofuscadas pela greve policial", acrescentando que as "autoridades temem uma onda de violência". Para o veículo, o carnaval é uma melhores festas de ruas no mundo, com quatro dias de celebrações que atraem milhões de pessoas.



O 'The Washington Post' relat
ou que o salário dos oficiais do Rio estão entre os mais baixos no País. O jornal ainda ressaltou que "a polícia no Brasil, particularmente no Rio, tem sérios problemas de corrupção".

Anônimo disse...

repassando email recebido - Ricardo Gama

PAPO FURADO ! Exército e tropas federais não tem condições de fazer segurança no Rio, em caso de greve de policiais e bombeiros estourarem


.
Reprodução do jornal do estado de São Paulo




Comentário Ricardo Gama:

Com todo o respeito ao Exército e as tropas federais, mas eles não conseguem nem garantir a segurança no Complexo do Alemão, que toda semana uma pessoa morre, ou uma confusão é causada, como eles vão cuidar do Estado do Rio de Janeiro todo ?


E mais um detalhe, o Governo Federal diz que tem 14 mil homens do Exército pronto para virem ao Rio, isso é outra mentira, não se tem esse efetivo sobrando.


Digo e repito, a saída é dar dignidade e salário para os servidores da segurança.
.