quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Na ditadura cubana não há Pinheirinho, nem V Distrito de SJB.

Digo, repito e faço coro com todos os blogs que são contra as violações de direitos humanos, em Cuba, São Paulo ou nos EEUU.

Por isso, replico o texto abaixo:

http://www.blogcidadania.com.br/2012/02/para-flagelados-do-pinheirinho-cuba-seria-o-paraiso/

4 comentários:

Marcos Cintra disse...

A falta de coerência da esquerda brasileira

Todo mundo sabe e Dilma Rousseff espalha aos quatro ventos o fato de ter militado na luta armada contra o regime militar brasileiro.
Dilma e a esquerda brasileira estão sempre denunciando torturas e maus tratos recebidos durante o período da ditadura militar brasileira em que estiveram presos.
Condenam veementemente seus torturadores. O governo brasileiro paga milionárias indenizações aos antigos perseguidos políticos, entre os quais Luiz Inácio Lula da Silva, como compensação por torturas e maus tratos recebidos.
A busca de desaparecidos durante a guerrilha do Araguaia conrinua, e criou-se a Comissão da Verdade para esclarecer os crimes cometidos durante o regime militar.
No entanto, demonstrando total falta de coerência, Dilma Rousseff em Cuba adula e se torna subserviente aos governantes que instalaram na ilha uma das mais sangrentas ditaduras da América Latina.
Chega a cifra de quase 20.000 o número de opositores do regime cubano fuzilados por este crime, serem contra o regime. Até hoje em Cuba centenas de pessoas amargam nos fétidos cárceres cubanos penas de prisão por se oporem ao regime.
Dilma e a esquerda brasileira condenam os torturadores do regime militar brasileiro, no entanto dão apoio irrestrito e econômico para os torturadores cubanos.
Aqui dizem, faltando com a verdade, que lutaram pela democracia. Em Cuba se opõe aos que lutam pela democracia comparando-os a criminosos comuns.
Falta a Dilma e a esquerda brasileira apego e amor a democracia e a liberdade.
Falta-lhe coerência e ética. Falta-lhes moral para condenar os crimes cometidos por militares brasileiros no passado.

Fidel Castro espirra em Havana e Dilma toma aspirina em Brasília.

Ou o Brasil acaba com o PT ou o PT acaba com o Brasil
brasillivreedemocrata

douglas da mata disse...

Marcos,

Nem sei por onde começar, tamanha é a cretinice do argumento.

Parece que os analfabetos funcionais, que se autodenominam "democratas", lêem, mas nada entendem.

1- Não há crítica, nem óbice a denúncia dos crimes contra direitos humanos em Cuba, ou em SP, ou na China ou nos EEUU. O texto diz isso, mas os imbecis não entendem.

A presidenta, de forma COERENTE, falou no tema, e disse mais: Não dá para utilizá-lo como arma ideológica, como fazem a mídia que alimenta democratas como você, umbilicalmente atados a agenda da CIA e de Washington, como os william wacks da vida. Reivindicou para si os problemas do nosso país, que ainda acontecem e eu tenho uma desconfiança: Enquanto não punirmos os crimes da ditadura do passado, a tortura continuará a ser efetiva para "fazer justiça" nas delegacias e nas ações policiais, justamente porque há uma percepção que deu e dá certo, sem punição.

2- Veja que os "democratas", todas as vezes que pretendem atacar a política externa brasileira(que condena as violações, mas enxerga as dificuldades da defesa universal desses direitos, na medida que TODOS os países cometem tais crimes, e só usam os crimes dos outros como ferramente de disputa geopolítica), falam desta suposta "contradição" (ou incoerência)do resgate histórico dos crimes da ditadura de 64, como se tal reparação fosse indevida, porque, na verdade, querem inverter a lógica: apagar nosso passado, e acusar os erros dos outros, desde que sejam os "inimigos ou do eixo do mal", antagonistas dos EEUU e da direita colonizada daqui.

03- Ora, o texto é claro: Não cabe a presidenta questionar a soberania de Cuba e sua auto-determinação, pois há instâncias multi-laterais para fazê-lo, como ONU e OEA, embora nem sempre esses organismos tenham os mesmos pesos e medidas para "criminalizar" os países, pois veja: Não pode o regime de Fidel, mas pode golpe em Honduras(e quem disse que foi golpe foi a embaixada dos EEUU, ver Wikileaks). Não pode prender em Cuba, mas pode sequestrar e encarcerar em Guantanamo.

A questão é que só há possibilidade de enfrentar tais violações com a aproximação e convencimento, ou será que escolheremos a via "da águia", para implantar "democracia" como foi feito no Iraque e no Afeganistão?

E educadamente, falta moral em vocês, bando de filhos da puta!

douglas da mata disse...

PS: Hillary Clinton leva uma enrabada e os "barsillivredemocrata" perdem as pregas.

douglas da mata disse...

Antonio e Valéria,

Os comentários não serão publicados, por alguns motivos:

01- Nada acrescentam ao debate, pois nada trazem de novo, além de atacar a presidenta Dilma, e o texto parece ter ficado bem claro, assim como a resposta a esse comentário cretino trazido pelo Marcos;

02- Nada que mencione a revista "óia", a folha de embrulhar peixe podre, ou a revista somos meio assim, ou outros órgãos de coleira merecerá espaço por aqui, por uma questão simples: são um bando de cretinos sem qualquer credibilidade e que nada contribuem para um debate amplo e democrático;

03- O texto que publiquei não menciona Cuba como um paraíso, e isso está bem claro, só os analfabetos funcionais não conseguiram entender, mas reconhecer as limitações cubanas não me faz esquecer as contradições e "miopias seletivas"(como citado pela Valéria) da mídia e dos espumantes conservadores ao redor do mundo.
O "berço" ou os "campeões" da democracia, os EEUU, são uma alternância entre extrema-direita(republicanos)e centro-direita(democratas)há mais de 200 anos, aprisionada pelo que há de pior do mercado financeiro e lobbistas, que estão matando qualquer ideia de direitos civis e liberdade em nome do capital, é só ver a repressão ao Occupy Wall Street e as proibições que estão no "forno" para internet (SOPA e PIPA), sem falar na questão Guantánamo e os sequestros e "extrações" no Iraque, Afeganistão e Europa. Nem vamos falar do que causaram ao mundo com sua política do "big stick", renovada agora em tempos de bush pai e filho, e ratificada pela decepção obama.

Já a oposição venezuelana, nem merece esse nome. Um bando de golpistas apoiado pela Casa Branca, ou já esqueceram do golpe contra Chavez? Ah, mas ai pode, não é? Já vimos esse filme e sabemos como termina e não queremos replay.

Xô viúvas de 64.

Aqui não!