quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Planície internacional: O Império de joelhos.

Só há uma coisa que faz a maioria das empresas de mídia dobrar a coluna e rastejar: Dinheiro.

O mesmo dinheiro que as faz esquecer os "valores éticos e democráticos" que adoram "ensinar".

Isso lá em Londres ou em um canto esquecido do sul do mapa, no norte-fluminense.

Os advogados de Rupert Murdoch, da News Corporation, flagrado fazendo aquilo que é a essência da sua empresa e de seu "sucesso", ou seja, escuta ilegal, promiscuidade com agentes de Estado para obtenção e manipulação de informação, em prejuízo de vítimas e da sociedade, vão propor a Suprema Corte britânica que o empresário-gângster apresente um humilhante pedido público de desculpas (nas palavras do jornal The Independent), como forma de aplacar os processos cíveis restantes, uma vez que 40 das 50 pessoas identificadas como vítimas, até agora, já acordaram, mediante propostas milionárias.

Os advogados de duas bancas tentam evitar, com um pronunciamento contundente de desculpas "sem precedente", aplacar os ânimos dos outros autores das ações cíveis.

Mas a estratégia de auto-flagelação está sob ameaça, uma vez que dia-a-dia surgem novas vítimas.

Ainda que disposto a encenar um falso arrependimento(que só é sincero pelo "bolso"), não há boas notícias no horizonte.

É bom assistir a tudo isso, e ter esperança que algum dia esse trato, digamos, mais civilizado com a mídia possa ocorrer por aqui. Quem sabe?

Leia mais aqui, na versão eletrônica do The Independent.

Nenhum comentário: