terça-feira, 11 de outubro de 2011

Um colosso de planície.



Para quem assistiu na década de 90, o programa de bonecos que fazia a cabeça da gurizada. Olhando assim, se fosse veiculado hoje, seria considerado uma homenagem a um editor-de-coleira. Você conhece algum capachão?
Com certeza sim, mas é claro, sem a graça e a inteligência do texto do boneco, feito para divertir.

Já a grotesca personagem real é uma lástima para seus pares, e até para adversários, que já o colocam na categoria folclórica, tipo "mundinho", que xingava, ameaçava todo mundo, declarava suas preferências sexuais bizarras, mas não passava de um desparafusado.

Quem já não riu com as respostas de "mundinho" às provocações?

Igual ao "mundinho" editor-chefe, que também não tem a mínima noção do que se passa ao seu redor, e vocifera, baba, espuma, e todos nós rimos.

Como "mundinho", o capachão da planície vive das migalhas dos outros, ora em um cargo sub, que de tão importante ficou "desocupado", sem que ninguém se desse conta(não sabemos se alguém recebia, isso deve ser apurado), ora em um penduricalho de um jornaleco que só serve como panfleto para escoar verbas de publicidade e anúncios de empresas "amigas".

Nosso capachão só ladra, ladra, ladra...e nossa realidade se torna muito mais absurda que a ficção infantil.

Eu riria também, senão fosse trágico.

2 comentários:

Anônimo disse...

O problema não é ser capacho. Afinal, ao que parece, ele até tem muito orgulho de se prestar a isso.

o problema é o que isso simboliza, além dele exercer esse ofício através de um órgão de comunicação que deveria, em tese, cumprir o papel de informar com imparcialidade.

abs antonio

Anônimo disse...

Douglas, ainda tem mais. Qaunto mais se mexe mais fede. Cidadão Fabiano Venâncio recebe como assessor de imprensa mas o que ele faz mesmo é ser dono de um site que tb puxa-saco do governo. o tal campos24horas.com.br
ou seja: tá dominado, tá tudo dominado!