quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Trajetória delirante!

Já dissemos aqui, nesse pequeno gueto de opinião, qual a diferença entre luta e briga: As lutas são justas, as brigas, nem tanto. Toda luta é uma boa briga, mas nem toda briga é uma luta justa.

O triste espetáculo promovido pela prefeita cigarra nos últimos meses, entre se escabelar na sede da prefeitura para resistir(ilegalmente)a uma ordem legal de "despejo", e agora, levando sua trupe de andrajos a capital para esmolar mais alguns anos de desperdício, para quem sabe, conseguir comprar uma vaga para seu marido-gafanhoto nas Laranjeiras, são exemplos de brigas inúteis, ou apenas eficazes aos planos eleitorais da dupla, se muito.

São brigas que se completam, e cada vez mais os isolam dos que lutam pelo bem comum. Perguntamos a você , meu raro e escasso leitor: Se estivesse na oposição, a prefeita lutaria pelos royalties? E caso não houvesse royalties, lutaria pela prefeitura? Quem sabe?

Outra distinção que fizemos aqui também é entre sonho de delírio. O sonho é possível, ainda que não se realize. Dá-nos a referência de vida, motiva-nos, mas acima de tudo, mantêm-nos perto da realidade.

O delírio não! O delírio é irrealizável, como dar a volta ao mundo nadando sem descanso ou adquirir um Ferrari como assalariado.

O delírio nos afasta de tudo e de todos, nos coloca à margem das pessoas, e à beira da paranóia, porque os delirantes acreditam que tudo e todos estão contra ele e a materialização de seu delírio.

Essa é a condição do deputado 288. Um ser delirante, que foi incapaz de entender a importância dos sonhos que realizou, e preferiu continuar alienado nos desejos megalômanos.

O sonho constrói, o delírio destrói.

O deputado 288 é vítima de si mesmo.

Vai terminar "presidente" da associação dos "quase-presidentes" frustados, junto com zé serra, alckmin-chuchu, e marina joana d'arc silva, etc.






Nenhum comentário: