sábado, 8 de outubro de 2011

Que catzo é esse?

Estou estupefacto! Não estava em casa, no horário do "barraco ordinário", e muito menos ouço esse tipo de latrina radiofônica, mas quando retornei, ao conectar-me a blogosfera, eis que me deparo com as notícias de que chegamos perto de um fratricídio.

Há tempos, esse e outros blogs detectam a deterioração dos canais normais de disputa política, onde o clímax se deu durante a ocupação ilegal da prefeita, que enquanto lá se manteve com sua horda, não era prefeita.

Publicamos uma postagem, que você pode ler na íntegra, O riso do deboche, onde dissemos: "...Em breve, teremos facções em luta aberta pelas ruas..."

Ainda que seja tentador atiçar o conflito entre dois personagens tão nefastos de nossa política local, temos que entender o que se passa a partir de um espectro mais amplo, sob risco de, senão o fizermos, nada avançaremos para deixar esse tipo de disputa no passado.

A luta pelo poder, travada em si mesma, com a captura de todos os instrumentos públicos como se fossem ferramentas privadas, a mistura de interesses, a cooptação das esferas e instâncias de debate, reduz os conflitos a questões pessoais.

Se tal tendência é perigosa entre pessoas estranhas, o que dizer quando o ingrediente principal são querelas familiares, recheadas de ressentimentos, ódios e fofocas?

Desnecessário dizer o quão vergonhosa é a transmissão de "lavagem de roupa suja" entre um parlamentar federal e um presidente de Câmara Municipal.

Aonde estarão os órgãos de fiscalização que deveriam coibir que concessões públicas de rádio se prestassem a tamanho desserviço público?

O que será que falta acontecer?



Nota do blog: nos blogs de coleira hospedados no jornaleco ordinário, nenhuma linha, silêncio absoluto sobre o quiproquó. Será que estão assimilando o golpe e,ou esperando a ordem para saber o que podem falar?

2 comentários:

Tadeu disse...

Douglas, tomara que seja o início de um filme que já vimos e que o Brasil agradece muito, Pedro(nhaim) X Fernando(garotinho).
Sds
Tadeu

douglas da mata disse...

Opa, Tadeu, quem sabe?

Saudações.