domingo, 2 de outubro de 2011

O mito está nu!

Líderes políticos, movidos pelo seu talento pessoal, ou pela ausência dele, em algumas circunstâncias, são também limitados pelas conjunturas e épocas que vivem.

Mal comparando com o futebol, há situações incontornáveis, que ceifam carreiras promissoras, ou limitam vôos mais altos, como foi o caso de Tita e Zico, na década de 80, no super time do Fla. Tita era um senhor jogador, mas não reunia condições para rivalizar com  Zico. Logo, não é errado supor que estava na hora errada, no lugar errado.

É mais ou menos o caso do deputado-prefeito, que hoje comanda o seu pequeno império, que está em frangalhos, e se sustenta em bases voláteis como areia.

Fenômeno da comunicação, carreira vitoriosa e meteórica, atropelou todos os manuais da política tradicional, e conseguiu reunir mais de 15 milhões de votos para presidente, concorrendo por um partido sem base nacional, quase como um outsider.

Dentre as suas façanhas, não podemos esquecer, a eleição de sua mulher a governadora, que não detinha nenhum traquejo ou biografia política, salvo o fato de ser a sua sombra fiel durante anos.

Mas o que faz um político com tamanha capacidade empacar e não ultrapassar um determinado teto, condenado a esgotar seu modelo até o completo ostracismo, sangrando aos poucos em brigas locais, quando deveria estar sentado na mesa das grandes negociações e questões desse país?

Se olharmos o perfil dos políticos como o deputado-prefeito, que construíram suas dinastias em torno de um forte apelo pessoal, desprezando bases partidárias amplas, cooptando ou destruindo a base social em seu entorno, e com pouco respeito a acordos e aliados, concluiremos que, por mais ou menos tempo, sua hegemonia não é suficiente para catapultar-lhe para além dos seus quintais regionais.

Foi assim com ACM, com Barbalho, com Renan Calheiros, e os Sarney, que estão confinados ao patriarca, que depois de extinto, levará consigo seu legado, deixando aos herdeiros poucas possibilidades, como é o caso de ACM neto, na Bahia.
O único exemplo que fugiu a essa regra foi Collor, mas essa exceção logo foi recolocada sob a controle da realidade: Projetos de extremo personalismo servem para acertos paroquiais e até regionais, mas não governam um país.

Assim, podemos dizer que o deputado-prefeito é vítima de seu próprio talento, e claro, de sua incapacidade de auto-avaliar-se e enxergar os limites para o carisma.
Refém da imagem que faz de si mesmo, não é capaz de perceber o perigo ao seu redor. Também por isso, desenvolve uma paranóia pouco seletiva, que nivela todos os aliados no campo da desconfiança.

Nenhum esquema político, nenhum grupo resiste por muito tempo a uma liderança com esses traços, e nem há uma herança política que seus seguidores possam revindicar.

De todas as frentes de disputa que abriu, o deputado-prefeito dá mostras do cansaço de sua fórmula e de sua figura:

Na cidade natal, o cerco da Justiça ameaça o mandato da esposa, e de quebra, a fonte de recursos que contava para alavancar as eleições de prefeitos que serviriam de base para lançar-lhe como candidato a governador.

No Congresso, teve que resumir sua agenda a questões morais, estreitando seu discurso e atuação a um campo político que já detinha, ou seja, não agrega mais nada em agir em defesa dos homofóbicos, moralóides e outros hipócritas.
E como esse é o espaço que sobrou para a direita e ultra-direita, tem muita gente para disputar os holofotes, e ele nem é o preferido da mídia para ser porta-voz desses loucos espumantes, como bolsonaro, dentre outros.

Na capital do Estado, onde esperava impor sua filha como opção no tabuleiro, foi neutralizado pelo prefeito paes, e pelo forte esquema da mídia do governador cabral. Outra cabeça-de-ponte que pretendia manter para encurtar o caminho para o governo do Estado não apresenta-se como promissora.

A possibilidade de uma candidatura de Lindberg Farias ainda ameaça seu estreito campo de manobra junto ao eleitorado da baixada e zona metropolitana

É esse o desespero que o deputado esconde no triunfalismo da "vitória" que comemorou nessa última semana, como se tivesse ganho uma eleição presidencial.

A rusga com o irmão já estava no horizonte, mas ele só não esperava que se desse agora.

Há o caso da reivindicação do mandato a prefeita infiel ao PMDB.


Como vemos, as coisas podem estar bem piores do que diz a propaganda oficial.


PS: A possibilidade do registro do PSD ainda traz novas preocupações ao deputado-prefeito, que se perder o "leilão" que Kassab promoverá, poderá ter que ver todos seus desafetos reunidos em um novo partido, e sem poder-lhes cobrar o mandato, como é o caso de bacellar e rh.



8 comentários:

CHUCKY disse...

Planicie Lamacenta,

Ótima reflexão.

“A pessoa conscientizada tem uma compreensão diferente da história e de seu papel nela. Recusa acomodar-se, mobiliza-se, organiza-se para mudar o mundo.”
(Cartas à Cristina, 1994.)

“Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho: os homens se libertam em comunhão.”
(Pedagogia do Oprimido, 1968.)

Anônimo disse...

Muito bem posto e analizado, calculado friamente.O tipo de texto que se amplamente divulgado deixaria o mito além de nu, mudo, desnorteado, sem palavras ou argumentos.É o caso do homem que acha que é o mito, só que o mito cresceu mais que o homem e esse homem não acompanhou essa evolução por isso agride, se vitimiza quando descobre que pessoas tambem pensam.

Ricardo de Freitas disse...

Parabéns o texto é perfeito.

Anônimo disse...

Acho que a ave decadente (ave Linus) está falando de você.

Liga não, compreenda que ele continua roendo um osso que deixa a rataria possuída.


segunda-feira, 3 de outubro de 2011Raiva de Garotinho é motivada por paixão não correspondida
Tem blogueiros com raivinha permanente que atacam Garotinho simplesmente porque a paixão virou ódio, já que não foi correspondida. Paixão não correspondida é motivo de muitos assassinatos pelo mundo afora. Como esses pessoal não tem coragem (bom que seja assim) de matar, usam os meios que dispõem para difamar, caluniar e injuriar a pessoa que não dá pelota para sua paixão.


Sem a internet, essas pessoas ficariam mordendo os lábios e falando pelas esquinas. Mas com os blogs, elas acham que podem tudo, porque não serão alvo de processos. Sabe que não existem politicamente e socialmente. Então, as pessoas sérias não dão importância a elas e ao que elas escrevem ou falam. Fica por conta do "barraco" que qualquer um não muito seguro arma quando contrariado.


Tem até um causidicozinho pequenininho que não se assume e satisfaz seu ego (embora corroendo-se porque é apaixonado por quem azucrina) que insiste em revelar seu ódio babando o veneno pela rede. Digno de piedade. Mas eu acabo rindo de sua raiva porque sei o motivo, que ele tenta velar.


Outros já criticam por interesses político/eleitorais. Como todo mundo sabe, acaba não influenciando ninguém. E há os franco-atiradores. Estes são perigosos. Não em relação à política ou a eleições, mas porque procuram atingir, fingindo uma "análise distanciada", a honra das pessoas. Ganham bem, estão seguros em seus empregos públicos, têm tempo para pensar e são mais intelectualizados. Arquitetam melhor. Não atingem o alvo como querem, mas ficam incomodando como moscas varejeiras, pernilongos ou ratos.

Sigamos em frente...

Anônimo disse...

O senhor escreve bem, tem boa informação e deve ter ótima formação. Se posso criticá-lo construtivamente (um pouquinho só) seria no uso das letras maiúsculas nos nomes próprios. Faço ressalva também ao uso generoso dos adjetivos principalmente quando critica a direita, os homofóbicos etc. Não sou a favor de nenhum deles igualzinho ao senhor e este é seu blog. Mas resistir a despejar nossa indignação através de ajdetivos fáceis é um exercício e tanto. Faça-o. Vai melhorar ainda mais. Este texto foi o melhor que li em todos os blogs que tive acesso sobre nossa lamacenta planície e não me daria ao trabalho de comentar se não visse no seu trabalho um texto primoroso e inteligente. Uma das melhores informações da região. Suas análises são muito bem fundamentadas e, se posso incentivá-lo devo dizer que minhas críticas pretendem melhorar o que já esta ótimo. Parabéns.

douglas da mata disse...

Caro Chucky, grato pelos elogios. Aos demais:

Comentaristas das 16:16 , a ausência de maiúsculas é uma licença literária para diminuir a pessoa. Pessoa pequena não merece tratamento próprio. Obrigado pelas demais observações.

Ricardo e comentarista das 13:25 obrigado pelos comentários generoso.

Ao comentarista que cita a ave de rapina, o que posso dizer? Bom, eu deixei de considerar qualquer opinião desses cretinos faz tempo, mas ainda assim obrigado.

Um abraço.

Anônimo disse...

COLIGAÇÃO CORAÇÃO DE CAMPOS & ARNALDO VIANNA ENTRAM NA BRIGA

Nos mesmos autos do MS que foi negado, e, que a liminar nº 138410/2011 foi concedida, entram como litisconsortes através da petição 139675/2011


COLIGAÇÃO CORAÇÃO DE CAMPOS & ARNALDO FRANÇA VIANNA

manifestando-se quanto ao pedido liminar e a petição inicial MS nº 66.159.


http://pensamentossubjetivos.blogspot.com/2011/10/coligacao-coracao-de-campos-arnaldo.html

Em Debate! disse...

Meus amigos vejam no blog Em Debate a possivel aliança de Mocaiber e Garotinho na eleição do ano que vem!
emdebatecampos.blogspot.com