sábado, 29 de outubro de 2011

O debate democrático.

Recebemos o apelo para publicar um texto, que relaciona-se ao caso de censura do blog de SFI.

Caros amigos,

Após refletirem sobre este texto em anexo, gostaria que o publicassem para democratizar o debate sobre a polêmica envolvendo o blogueiro Noel Jr.

Abraços!

Alberto Gaspar



"Caros amigos da Rede Blog

         Gostaria de usar este espaço para comentar sobre o ocorrido com o blogueiro Noel Jr. Inicialmente, sem conhecer detalhes do processo (estranhamente o blogueiro não divulgou até agora), considero que foi uma arbitrariedade da Justiça um mandado de busca e apreensão na casa do Blogueiro. Sou um sanfranciscano, professor, e defensor da liberdade de expressão. Acho que foi uma medida um tanto quanto “violenta” e o que deveria ter ocorrido, na pior das hipóteses, é o rapaz ter que responder a um processo e, diante da Justiça, se explicar. Por outro lado, defendo a liberdade de expressão com responsabilidade, o que não é o caso do Sr. Noel Jr. Não é a primeira vez que ele tem que se ver diante da Justiça por causa de suas postagens em seu blog. Já houve um outro caso no ano passado. Peço que as pessoas analisem o conteúdo do blog em questão. Analisem bem as postagens e os comentários e cheguem as suas próprias conclusões.
A postagem pivô de toda a polêmica e que gerou o processo judicial é “Fim do Reinado”. Essa postagem trata da “queda” do secretário de saúde do município e gerou mais de 100 comentários. Se observarem bem vão ver que ele aceitou comentários de anônimos fazendo sérias acusações e dando o nome e o sobrenome dessas pessoas. São acusações sérias e sem provas. O nome de Cristiano Assis Silva que o blogueiro revela como um dos comentaristas, e que constaria nos autos do processo, também preocupa. Isso porque aqui é uma cidade pequena e ninguém conhece esse cara, ou seja, tudo indica que é um anônimo que usou um nome falso.

         Para finalizar, quero dar como exemplo um outro blog de São Francisco que é muito respeitado pela Rede Blog e pela imprensa em geral. Trata-se do Blog do Paulo Noel. Observem que o Paulo Noel trata dessa questão de forma bem discreta. Sabem o por que disso? É porque Noel Jr. não goza de um bom conceito na comunidade. Façam uma pesquisa sobre o “perfil” dele entre seus colegas de faculdade e vão se surpreender com sua “popularidade”. É amigo de primeira linha de Charles Guerreiro, Fabrício, Tiago Ferrugem, Vaval da Outside e colaborador de Barbosa Lemos. Deu pra entender?

Ass: Alberto Gaspar – Professor da rede estadual de ensino e sem qualquer vínculo com políticos ou partidos."



Resposta do nosso blog:

Caro Alberto,

Seu espaço para publicar o texto está garantido.

Já em relações a suas ponderações, você tem direito a elas, mas se olhar bem, é justamente isso que nosso blog argumenta no texto Silêncio Perigoso.

A orientação política e o tom que o blogueiro usa em seu espaço, é um problema dele, e na medida que respeite os limites, está tudo Ok. Quanto a seus amigos e aliados, idem.

Quando qualquer um extrapolar, aí está a Justiça para podá-lo, mas veja: Dentro dos limites da proporcionalidade, com a mesma medida entre o corretivo e o erro.

Se também extrapolar, a justiça se torna injustiça, e mais: no caso dos blogs e da comunicação social, torna-se um atentado político a liberdade, uma vez que os poderosos, supostamente atacados em sua "honra", encontram, através de seus caros advogados e do acolhimento dos juízes, uma forma de desequilibrar a luta política que também se trava na atividade de comunicar.

Como disse, o complicado na Democracia é lutar para que os indignos dela continuem a usufruir junto conosco. Eu prefiro o canalha do bolsonaro na tribuna, a vociferar seus impropérios racistas e homofóbicos, que vê-lo escondido em algum grupo paramilitar ou pior: comandando algum centro de tortura de alguma ditadura.

Um recado: a ausência de vínculos com partidos, ou "com políticos", não lhe dá mais ou menos isenção para analisar nada. Democracia é feita de partidos, de políticos, e claro, de gente sem vínculo orgânico com nenhum destes, mas imaginar que não se faça política quando se adota qualquer posição, é ingenuidade...ou má fé.

Um abraço.

3 comentários:

CAMPISTA disse...

Respondendo a seguinte postagem do Blog Pimentel " Professora Odete clama por melhores condições no Hospital Ferreira Machado", a postagem já se inicia dizendo que a Professora, se encontra no HFM como um cidadã qualquer, fica a dúvida, a professora que diz lutar tanto pela igualdade social, não se considera uma cidadã qualquer? Pois contrariando a sua vontade e a de seus puxa-sacos, ops, digo acessores políticos, infelizmente devo lhe informar, professora Odete, que a senhora é um cidadã como qualquer outro cidadão campista. Nós, meros cidadãos da planície goytacá, convivemos todos os dias com a precariedade do sistema de saúde do nosso município , a diferença é que não fazemos política com a nossa desgraça ou com a saúde de nossos familiares. Existem momentos para se protestar e existem momentos de dor que são só nossos e de nossos entes queridos. É lamentável, a atitude da Professora Odete, com relação a sua mãe, uma senhora já com idade avançada e que foi vitimada por um infarto, que necessita do apoio da família e dos filhos nesse momento de dor, mas que no entanto, oportunistas como a professora, aproveitam para fazer política ao invés de se convalecer com a doença de sua mãe. Se mesmo tendo como vítima a sua mãe, a professora se aproveitou desse momento para fazer política, imagina sendo um de nós pobres cidadãos campistas , meros mortais. Ah me esqueci que o momento não é para se importar com valores familiares, afinal as eleições estão chegando e o que vale são as propagandas. Por isso estão usando as convalescências como propoganda política.
Só mais uma coisa, o novo slogan do pc do b ( está em letra minúscula propositalmente, pois esse partido que se diz de esquerda e na verdade é de extrema direita não merece respeito) " um partido do tamanho das nossas ideias", com certeza o crescimento do partido é notável, no ramo da corrupção rsrsrs... Isso tanto a nível nacional, como também aqui no diretório de Campos, presidido por ninguém mais ou ninguém menos que a professora que faz propoganda política dentro do hospital onde sua mãe está convalescendo.

Anônimo disse...

Douglas,
Saindo um pouco do debate específico sobre a ação da justiça contra o blog de São Francisco, mas ainda sobre democracia, acho que o que se deve discutir é a tal liberdade que acreditamos ter em nossa atual democracia, e se elas, democracia e liberdade realmente existem.
A liberdade para dizer, para falar e escrever pode até existir, sim, talvez... mas diante da formulação de verdades programadas no inconsciente das pessoas, inserido principalmente através da publicidade e da mídia, cria-se uma ditadura de pensamento e faz com que o que dizem em contrário seja facimente descartado, simplemente ignorado pelas pessoas.
Por isso não compartilho desta mesma crença que você tem na atual democracia, inclusive acredito que ela nem mesmo existe, é uma apenas mais uma das "verdades" criadas para acharmos que do jeito que está podemos mudar alguma coisa.
Abs,
Paulo Sérgio

douglas da mata disse...

Paulo Sérgio, bem-vindo a esse pequeno quintal de debates.

Olha, meu caro, eu não enxergo "verdades fabricadas" sem quem as queira comprar ou acreditar nelas.

Ainda que as ferramentas de manipulação sejam poderosas e o são, e ainda que nossa sociedade tenha levado ao ápice a máxima do "eu sozinho", e criado monstros individualistas que se movem como massas de manobra no mundo do consumo, da "felicidade eterna", dos "bem-sucedidos" e do deus-mercado, eu não enxergo outra saída que não seja fortalecer a crença na Democracia, ainda que ela não nos pareça perfeita.

E é isso. A imperfeição e variedade de olhares e expectativas que constroem esse caminhar democrático, que afinal, é ainda mais importante que uma palavra ou um slogan engessado em algum discurso.

Assim, todo dia, toda hora, cada passo, é um movimento pela construção de algo que será sempre inacabado.

Enquanto houver um descrente, uma pessoa que duvide, que questione, lá teremos um começo de luta por democracia.

Eu acredito nisso.


Um abraço.