quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Um pastor sem rebanho!

Cômica, se não fosse trágica a mais nova(velha)intervenção do bispo (o bispo é pop?)sobre a política local. Ao gosto dos mais ensaboados políticos que critica, o bispo, do alto de sua "autoridade eclesiástica", ungido pela verdade dos dogmas que professa, vaticina: "O fisiologismo existe, e quem está incomodado com essa assertiva é porque é fisiológico".

Ora, o cacoete do bispo não deixa dúvidas: Ele propõe um monólogo, de formato inquisitorial, em atendimento a tradição que carrega nas costas. E para quem questiona, um pecado mortal, a sentença: Herege!

Como o bispo vai operar o milagre de orientar sem dar nomes aos bois? Algum político fiel se autodenominará fisiologista? Como a população saberá identificar? Santo deus, mais dúbio e confuso que isso, só a santíssima trindade, onde deus é pai, filho e espírito santo, e ninguém sabe quem "faturou" a pobre maria, que josé foi obrigado a engolir como "virgem".

Lançaremos outra Inquisição e seus autos da fé, onde acusações serão jogadas aos ventos, e cada um apontará o outro como suspeito? Teremos uma fogueira?

Vamos repetir, e pela última vez, porque brigar com homem que usa saia não dá muito certo:

A Igreja Católica nos deixou um legado de conformismo, que lançou as bases ideológicas para que o povo sofrido aceitasse sua exploração como caminho para a vida eterna e a salvação. Essa é a base do fisiologismo, que a Igreja e o bispo ainda cultivam e professam.

Quem conhece um pouco da história desse município, e da Igreja, sabe como foram tratados os rasgos de libertação dessa doutrina da dominação, que inclusive foi celebrada e fomentada com gosto no Ofício da Santa Inquisição(mudou de nome, para atender um marquetíngue melhor), ente que o atual papa(o nazista)controlou, e de onde saiam os discursos e ações para cassar os padres que se associavam ao povo para combater o tão propalado fisiologismo que apregoa o bispo.

Eu nem vou falar da hipocrisia e criminosa posição da Igreja em relação a pedofilia, que merece do bispo e do papa, um simples pedido de desculpas e expiação surda, sem um acerto público de contas, com a excomunhão de pedófilos, mas principalmente dos que os acoitaram, aí inclusos alguns proeminentes chefes do bispo.

A Espanha, em toda sua fé já deu conta disso. Na Justiça dos homens, pois a divina, representada na igreja de pedro, é cega, surda, muda e tetraplégica, pelo jeito.
Também a Irlanda, que lutou, matou e morreu para ser católica. Holanda faz a sua parte.

O bispo pop deveria cuidar de seu rebanho, que definha.

Deveria cuidar dos graves problemas morais que advêm da mistura do laico com o religioso.

E quanto a corrupção e fisiologismo, a Igreja poderia começar a dar exemplo a outras denominações e parar de usar sua isenção fiscal para lavar dinheiro e aumentar seu poderio nos veículos de comunicação de massa.

Ou vamos esperar outro escândalo como o Banco da Providência, na década de 80 do século XX?

5 comentários:

Anônimo disse...

"E quanto a corrupção e fisiologismo, a Igreja poderia começar a dar exemplo a outras denominações e parar de usar sua isenção fiscal para lavar dinheiro e aumentar seu poderio nos veículos de comunicação de massa."

Sei.. deixa então a IURD Igreja Universal fazendo fisiologismo com DEUS e lavando o cérebro do menos cultos.

douglas da mata disse...

Comentarista,

O assunto aqui trata das intervenções do bispo católico.

mas é claro que os problemas se estendem a outras denominações, é claro, e considero o bispo e suas intervenções tão impróprias quanto as do "bispo" cretino , samuel malafaia, por exemplo.

tanto a IURD, quanto a Católica são a mesma merda, disputando o mercado da fé.

desde já, esse texto, ou comentário não ataca a fé de ninguém, que aliás, não está restrita a figuras eclesiásticas, muito menos as contradições das religiões.

um abraço.

Raphael Sardinha disse...

Fiz um comentário sobre essa postagem no blog do Bastos. Dê uma olhada:
http://www.fmanha.com.br/blogs/bastos/?p=8151#comments

Abração

douglas da mata disse...

Rafael, meu caro e estimado amigo.

Deixemos claro alguns senões:

01- O meu ponto de vista não é antagônico ao do bispo, simplesmente porque eu não discordo que o fisiologismo exista. Só não considero esse tema importante, assim como não considero importante marchar contra a corrupção. Talvez só divirja do bispo pop sobre a natureza do fenômeno. O bispo pop acha que fisiologismo é coisa de pobre que troca voto por comida ou emprego. Eu acho que o troço é mais embaixo(nesse caso, em cima, no andar de cima).

Ora, honestidade e senso coletivo(que se opõe ao "fisiologismo")são obrigações e não símbolos de distinção.

A generalização conservadora que o bispo propõe só serve ao moralismo hipócrita. É isso que denuncio na sua fala.

Principalmente porque o bispo pop só menciona o fisiologismo de pobre, ou seja, aquele em que o cidadão, que ele considera manipulável e inculto, satisfaz suas demandas(que ele chama de necessidades fisiológicas) com a troca que faz com o seu representante político.
Mas eu não vi o bispo pop mencionar essa troca no nível da classe alta, com o fundecam, as obras que alimentam caixas de campanha, a verba de mídia, e até o din-din que escorre para igrejas e entidades mantidas pelas igrejas.

Isso também não é uma troca? ahhh, no caso deles é uma "troca qualificada" pelos mais "nobres propósitos"...Será?

02- Eu só publiquei a sua menção ao blog de coleira do jornaleco porque não editaria um comentário seu, amigo de velha data, mas desde já lhe suplico: não use esses nomes de baixo calão (blogs de coleira ou seu jornalecos hospedeiros) em nosso cantinho e nem exponha o nosso blog naquela lixeira.

Obrigado, meu grande amigo, de quem sou fã.

Raphael Sardinha disse...

Escusas!!!

Mas te confesso: to rindo muito com o segundo senão!



Abração