terça-feira, 13 de setembro de 2011

O telhado de vidro da igreja de pedro!

O exemplo, sabemos, não é a melhor forma de ensinar, mas a única.

Logo, para falar da moral, de ética e responsabilidade política, exercício cidadão e outros temas correlatos, o bispo uruguaio deveria dar uma boa olhada para dentro da instituição na qual milita.

O que é a pedofilia, tolerada e acobertada pelos altos escalões de Roma, senão uma das piores formas de degradação, que tem sua condição facilitada, justamente, pela pretensa autoridade moral e confiança que homens de batina suscitam nas pessoas de boa fé?

Leia com atenção o texto que reproduzimos do blog do Miro, e reflita. Afinal, pode o bispo emanar julgamento moral sobre algo ou alguém, em nome da igreja de pedófilos ou serão ped(r)ófilos?


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Vaticano denunciado por abuso sexual

Do sítio Opera Mundi:

Uma organização de apoio a vítimas de abusos sexuais cometidos por padres denunciou o Vaticano à Procuradoria do TPI (Tribunal Penal Internacional) nesta terça-feira (13/09) por crimes contra a humanidade.

A Snap (Rede de Sobreviventes de Abusados por Padres, na sigla em inglês) apresentou a denúncia ao considerar que funcionários do Vaticano participaram do "encobrimento generalizado e sistemático de estupros e crimes sexuais" contra crianças no mundo todo, segundo indicou em comunicado.

Uma porta-voz da Procuradoria do TPI, com sede em Haia, não confirmou inicialmente o recebimento da queixa, apresentada por membros da Snap da Alemanha, Bélgica, Holanda e Estados Unidos.

"Os crimes cometidos contra dezenas de milhares de vítimas, a maioria delas crianças, continuam sendo ocultados por funcionários do mais alto nível no Vaticano", afirmou na nota a advogada Pamela Spees, do Centro de Direitos Constitucionais (CCR, uma ONG jurídica americana).

Por essa razão, Pamela declarou que os responsáveis devem ser processados da mesma maneira como acontece com qualquer outro funcionário culpado de crimes contra a humanidade.

Segundo a organização de vítimas, a jurisdição do TPI estabelece o estupro, a agressão sexual violenta e a tortura como crimes contra a humanidade.

Por isso, pede que o Vaticano seja investigado pela suposta responsabilidade individual de alguns de seus funcionários que tinham os autores diretos dos crimes sexuais a seu cargo.

Esta seria "a primeira vez que um tribunal internacional declararia sua jurisdição sobre o Vaticano por delitos cometidos por seus representantes no mundo todo", indica a organização.



Nenhum comentário: