quinta-feira, 1 de setembro de 2011

The Beatles Live at Shea Stadium "A Hard Days Night" 1965



Em casa, e prestes a curtir minhas férias, repasso os DVDs e me deparo com The Beatles, Live at Shea Stadium.

15 de agosto de 1965, Nova York. O legal sobre os Fab Four é que que tudo que se tenha dito sobre eles, ainda resta algo que você possa dizer, e talvez, alguém ainda queira ouvir.

Claro, todo o fenômeno cultural de massa tem essa característica, mas há casos e casos. Para o bem ou para o mal, há episódios que marcam eras, delimitam tempos, ainda que o tempo não tenha a configuração que inventamos para entendê-lo.

Para o bem ou para o mal, não haverá outro Titanic. Não haverá outro Auschwitz.

Não haverá nada como The Beatles, o que quer que eles tenham sido ou significado.

A histeria das fãs, o olhar espantado dos seguranças, o desespero dos guardas correndo atrás das mais afoitas, Paul meio que assustado com o que vê, e que não tem a noção exata (ou tem, sei lá) do que fazem com as pessoas que gritam. A cara cínica de Lennon, como se já imaginasse o que diria depois: "Somos mais famosos que jesus cristo".
Ele tinha razão, e para muita gente, foram muito mais importantes e, claro, bem mais divertidos.

Eu não sou daqueles que sentem saudade do que não viveram, e dizem: "bons tempos aqueles". Mas se eu tivesse o privilégio de viver os 60's, talvez falasse frustrado:
Onde é que foi para toda aquela energia? Em alguma lata de refrigerante ou na tela de algum tablet?

Nenhum comentário: