sexta-feira, 5 de agosto de 2011

A terra do vale-tudo!

Eu não sei bem se li, ou se li e não compreendi. Por isso, chamei minha esposa para ler comigo, e auferir a impressão que lhe causaria.

Foi a mesma minha.

Ontem, por volta das 18 horas, na Avenida Pelinca, como um monumento a privatização do espaço público, e da total ignorância e desrespeito a qualquer autoridade constituída, e enfim, ao bem senso, uma placa afixada na parede de um escritório de uma empresa de dragagem, em frente a um novo bar onde funcionou o Boi Zebu, com os dizeres:


Estacionamento privativo a clientes.
Sujeito a avaria.

Como assim? Que mundo é esse?
Ora, ainda que haja algum direito regulamentado pelos autoridade de trânsito e, ou de postura para que a empresa reservasse aquele espaço para que seus clientes estacionassem seus veículos, há de perguntar:

É o tempo da lei pelas próprias mãos? Cada um por si e deus contra todos?

Quando a gente pensou que já viu de tudo, eis que a realidade nos dá um tapa na cara: Acorda, doidão!

3 comentários:

Anônimo disse...

Tinha visto esta placa há tempo e realmente o proprietário tem razão.
Achei até engraçado, mas é trágico diante da falta de educação das pessoas.
O "estacionamento" na verdade é o terreno da própria empresa, portanto, particular. Não se trata de calçada, passeio ou recuo, pelo que me lembro.
Neste caso impera a Lei te talião, que é a única forma de fazer com que os abusados entendam a lei.

douglas da mata disse...

Não, não meu caro comentarista, permita-me discordar.

A utilização do terreno, como recuo e baia de estacionamento deve ser regulamentada pela autoridade municipal com atribuição.

Veja que ao utilizar terreno como estacionamento há a supressão de vagas ao longo do passeio.

Desnecessário dizer que o limite do direito de propriedade e de seu uso é o interesse público e a Lei.

Se queria impedir a "invasão" de sua propriedade, deveria providenciar uma limitação: portão, corrente, ou outro meio de controle de acesso.

A ameaça está errada, agride a lei, e não contribui para a satisfação do direito pretendido.

Então, se alguém estaciona em frente a minha garagem, isso me dá o direito de incendiar esse carro ou danificá-lo?

Penso que não.

Um abraço e obrigado pela participação.

Anônimo disse...

SÁBADO, 6 DE AGOSTO DE 2011

Funcionária da Câmara Municipal pede socorro aos blogueiros de Campos - O lamento na íntegra no blog do Herval Junior.