domingo, 7 de agosto de 2011

Skol tubarão: propaganda é a "alma" de qual negócio?



O jargão é o óbvio na atividade que vive de inventá-lo. Mas como toda a expressão simbólica, a linguagem reflete um bocado da realidade que as pessoas as empresas têm de si, quando apresentam algum forma de discurso.

Não se trata de censura, mas apenas de interpretar e criticar aquilo que a sociedade deveria enxergar como exagero.

Fica claro que o setor da propaganda é pouco capaz, aliás, como qualquer outra corporação pública ou privada de, promover a auto-regulamentação.

E já que não fazem, não dá para se queixar de quem pretende fazê-lo, dentro das regras.

Perguntamos: Propaganda funciona? Influencia comportamento, gera tendências comportamentais? Alguns dirão que depende, outros dirão que nem tanto, mas TODOS os empresários das agências e seus profissionais dirão em uníssono: SIM, funciona, ou só vende quem anuncia!".

Perguntamos de novo: A propaganda é a alma de um negócio, e assim reflete a imagem do produto pelo anúncio? Outra vez os profissionais e empresários do ramo dirão: "SIM, quanto mais próxima a ideia da natureza do produto, maior o alcance e o sucesso".

Assim, propaganda de carro, geralmente está associada a mulher, piloto, corrida automobilística, etc.

Propaganda de cerveja, associada a verão, turma, celebração, alegria, e mais recente: Comportamento.

Essa é a mensagem da peça aí de cima.

Eu tomei um susto, aliás, mais um.

A série da SKOL é horrível. Já havia sido inaugurada em outras seqüências que associam comportamento de risco com o hábito de beber uma cerveja a qualquer custo, com aquela dos raios, e a outra do avião e o salto sem pára-quedas.

No entanto, essa superou todas.

Afinal, se considerarmos que em alguns lugares do Brasil, principalmente Recife, há ataques desse predador marinho, e a constante desconsideração de banhistas, não raro embebedados, é como se a propaganda dissesse: Bebam e se matem, ou pior, se matem para beber.

Se a propaganda é a alma do negócio, cabe perguntar mais uma vez: Que negócio é esse?

Bom, se a sociedade e a propaganda não entenderem os limites da liberdade de veicular anúncios, ainda mais em horário onde crianças e adolescentes assistem TV(domingo de manhã, e no meio do dia, entre programas de esporte, meus deus!), não adianta reclamar quando os tribunais, famílias de dependentes químicos de álcool, e a setor público de saúde começarem a cobrar pelos altíssimos custos provocados pelo abuso de uma substância que vicia, tanto como qualquer outra, lícita ou não!

Como já acontece com os dependentes de nicotina, por exemplo!

5 comentários:

Gustavo disse...

Sinceramente, Douglas, eu admiro o pessoal da agência de publicidade pelo poder de convencimento.

Fazer com que o cliente compre uma idéia idiota como essa série da Skol é para tirar o chapéu.

douglas da mata disse...

Francamente, Gustavo, quem "compra" essa ideia e vincula um comportamento de risco(geralmente associado ao uso de bebida)não precisa de muito argumento.

O (pior)problema é o culto a esse tipo de sugestão para os que ainda não escolheram enveredar pelo consumo de álcool, nesse caso, jovens e crianças submetidas a propaganda em horário impróprio.

Anônimo disse...

DOUGLAS,

NESTE EXATO MOMENTO ACONTECE UMA REUNIÃO PRÓXIMO AO PRÉDIO DA CÂMARA MUNICIPAL COM ALGUNS VEREADORES E O DEPUTADO FEDERAL, ANTHONY GAROTINHO, PARA TRATAR DA SOLENIDADE DE AMANHÃ. NA PAUTA, O PRINCIPAL ASSUNTO REFERE-SE NA INTERFERÊNCIA DA ESPOSA DO PRESIDENTE DO LEGISLATIVO ESTA SEMANA DURANTE O RETORNO DAS ATIVIDADES APÓS O RECESSO. ALGUNS DELES AMEAÇAM NÃO ENTREGAR SUAS COMENDAS AOS HOMENAGEADOS EM PROTESTO O MAL-ESTAR CAUSADO PELA PRIMEIRA DAMA EM SUA VISITA NA TERÇA-FEIRA COAGINDO FUNCIONÁRIOS E ASSESSORES DE VEREADORES A PONTO DE DEMITÍ-LOS, CASO NÃO RESPEITASSEM SUAS DETERMINAÇÕES. É AGUARDAR PARA VER O QUE SERÁ DECIDIDO DAQUI A POUCO APÓS ESTA REUNIÃO E A REPERCUSSÃO AMANHÃ DURANTE A ENTREGA AOS CONTEMPLADOS. PELOS COMENTÁRIOS NO BLOG DO HERVAL JUNIOR, COM CERTEZA ESSA SEMANA SERÁ BASTANTE CONTURBADA POR LÁ! VEJA: http://blogdojuniorcampos.blogspot.com/2011/08/funcionaria-da-camara-municipal-pede.html

Renata disse...

Parabéns pela iniciativa!!! Todos que eu conheço criticaram a propaganda, pois conhecem vítimas ou parentes de vítimas que sofrem até hoje com as consequencias dos ataques!!! Quando falei sobre a propaganda via twitter, a ambevbrasil respondeu: @renata_mcz A marca apenas buscou representar, de forma bem humorada, uma situação inusitada dentro do lema 'Um por todos. Todos por uma'. "Situação inusitada"???? absurdo!!!!!

douglas da mata disse...

Renata, obrigado pelo elogio, e saiba:

A resposta que você obteve é mais uma "confissão de culpa" do criadores, pois veja: todos por e um por todos, associado a imagens de comportamento de risco e uso de álcool, só pode ser entendido com uma proposta que reforça a postura de "maria-vai-com-as-outras", ou o comportamento de bando(manada)tão caro aos anunciantes e aos "criadores", que eles (tecnicamente)chamam de "tendência"(é menos repulsivo).

Se considerarmos os prejuízos dessa mensagem(e do comportamento), em uma idade e época que é tão difícil não ceder aos apelos da "inclusão pelo consumo"(e outros valores descartáveis), enxergaremos a verdadeira contribuição que esses "criadores" dão a nossa sociedade e aos seus consumidores:
SE DANEM, MAS CONSUMAM.

Não muito diferente de quem vende drogas ilícitas, mas pelo menos o traficante não faz propaganda em rede nacional, e talvez seja mais honesto com o que vende, pois não associa seu "produto" a práticas saudáveis e felizes.

Um abraço.