terça-feira, 23 de agosto de 2011

Pensando bem.

Salve nossos gênios do marquetíngue político local. 
Certa vez, na revista BUNDAS, uma revisitação atualizada do Pasquim, que durou entre o final do século XX e os primeiros anos do século seguinte, li um texto do LF Veríssimo.

Era uma ironia fina, dessas que só o gaúcho saxofonista sabe escrever, e que tentar reproduzir é arriscado.

Mas a ocasião exige. 

Dizia o filho do Tempo e o Vento na revista BUNDAS, então uma ácida crítica aos anos hegemônicos da privataria fernandista, que um bom marquetíngue resolvia tudo, e de certa forma, explicava o sucesso da octaéride de fhc, mesmo diante de todas as evidências em contrário.
Quem se opunha ao pensamento único era chamado de, no mínimo, dinossauro.
Na época, essa postura contestadora era considerada uma excentricidade de velhos rabugentos, mas a realidade se encarregou de provar que estavam certos. 
Bom, voltando ao que dizia o Veríssimo, o marquetíngue para ele era uma arte, principalmente em se tratando de propaganda de certos governos.

Mais talento exigia dos magos e seus aprendizes quanto pior fosse o governo. Mais dourada a pílula, mas brilhante o anúncio, mais caras as contas.

Vender pão quente era fácil, na opinião de Veríssimo. Quem resiste ao apelo e ao chamado olfativo-visual daquela maravilha fumegante, crocante e corada?

Difícil é vender côco como pão quente.

É por isso que se gasta tanto em propaganda nesta planície lamacenta. Por isso tanto zelo e carinho com jornais, rádios e TVs de coleira.

Você já ouviu alguém fazer propaganda de algo necessário, útil e indispensável, como abridor de garrafas, lavador de arroz ou macarrão? Ou de chave de roda, ou de macaco para levantar carros? Pois é.

Se considerarmos que a oposição é tão nanica que periga tropeçarmos nela, tamanho gasto em publicidade só pode dizer duas coisas: É preciso cada vez mais vender uma merda de governo como um sucesso, e pior, é preciso ficar com o "troco".

Quem procurar saber como uma população pode, ao mesmo tempo, ser dócil e cúmplice de tanta podridão, já pode satisfazer sua curiosidade: Há 15 milhões de motivos por detrás de um governo que parece rosa, mas fede!

2 comentários:

ROCKELANE disse...

Afinal o que, que está havendo nesta cidade ?

O povo, os vereadores da oposição, nada estão fazendo para reverter essa indecência da prefeitura com esse gigantesco gasto com propaganda .
Só de aditivo em 2011 serão gastos 15 milhoes de reais, do noso dinheiro. Quanto a generosa prefeitura de Campos, gastará em propaganda até o final do ano.

E pior, no ano que vem ano eleitoral, com certeza se irá gastar muito mais. E ninguém faz nada.Vereadores façam uma Comparação desses gastos com propaganda, com os gastos em propagandas em outras cidades semelhantes a nossa , ou então façam a proprocionalidade entre a nossa população e de outro município, e aí, voces irão ver o escandalo. Caso falte coragem em discutir com a situação, enc aminhe expediente ao MP, para tomar as medidas cabíveis.

Taynah disse...

Pessoal com a propaganda todos estão vendo esta gastança desenfreada, esta aberração com os gastos públicos.

Também na coleta de lixo de nossa cidade, sewgundo divulgou a própria prefeirua, gastou-se praticamente 40 MILHÕES, EM SEIS MESES, ou seja, até junho/11.
Quer dizer que até o final do ano 2011, a prefeitura gastará 80 MILHÕES DE REIAS, com a coleta de lixo. Gasto MAIOR que, TODO ORÇAMENTO DA PREFEITURA DE SÃO FRANCISCO DO ITABAPOANA, que é de 78 milhões de reais no ano de 2011. Vergonhoso povo campista.

Desse jeito os deputados de Brasília, seguindo a emenda Ibsen Pinheiro, poderão diminuir em muito nosso Royalte, ou melhor, o Roylate da prefeita, que esta gastan do muito tal dinheiro.