sexta-feira, 5 de agosto de 2011

O super-idiota.

Cumpriu-se o rito e o combinado.

O ex-ministro jobim saiu do governo ao qual nunca pertenceu mesmo, mas que só integrava como uma necessidade(duvidosa) de manter uma cunha nos hostes tucanas.

O cerimonial de despedida obedeceu a lógica do seu ego enorme, maior que a sua estatura física, muitíssimo maior que sua estatura moral.

Tentou, com a ajuda luxuosa do PIG, construir a imagem do "super-sincero", talvez para aglutinar a demotucanalhada desorientada em torno de seu nome, e funcionar como uma "opção" para as eleições municipais que se avizinham.

No entanto, essa sua auto-demissão, cumpriu outro estratagema: Deslocar o olhar sobre sua "gestão ministerial", simbolizada na subserviência canina aos militares, quando na verdade, a Defesa é uma pasta civil. Pretende, com esse vergonhoso espetáculo de disse-me-disse, ofuscar sua cumplicidade com as viúvas do golpe de 64, que tentam sabotar qualquer tentativa do país enfrentar seu passado e curar suas feridas, o que não se dará pelo silenciamento das vozes da memória dos familiares e dos amigos daqueles que morreram sob a tortura do Estado.

Seja bem-vindo ministro Celso Amorim. Ao lixo da história com esse entulho chamado jobim.

4 comentários:

Anônimo disse...

Esse Jobim confessou que fraudou a atual Constituição Federal de 1988.

Existem dispositivos da Constituição qua não foram votados pela Assembleia Constituinte e mesmo assim estão em vigor. E o Jobeim, relator à época, sabia de tudo, e ficou quieto, só vindo a contar essa estória depois de passados os prazos de prescrição para eventuais crimes cometidos. Contou como se tivesse feito um grande feito, uma esperteza.

E foi ele também que quando Ministro no STF defendeu com muita ênfase a tese (ABSURDA!) de aprovarem contribuição previdenciária para pessoas já aposentadas.

E o pior de tudo: Serviu ao Governo do FHC e ao Governo do Lula!

Êta Brasil!!!

Anônimo disse...

Dilma para Jobim, ao telefone: 'Ou você pede para sair ou saio com você

Depois de ler a reportagem completa da revista Piauí e decidir demitir Nelson Jobim do Ministério da Defesa, a presidente Dilma Rousseff pediu para falar com ele por telefone.

O ministro está em Tabatinga, no Amazonas, fronteira com a Colômbia. Depois de ouvir as explicações de Jobim, Dilma foi dura e direta ao assunto: "Ou você pede para sair ou saio com você".

Anônimo disse...

SÁBADO, 6 DE AGOSTO DE 2011

Funcionária da Câmara Municipal pede socorro aos blogueiros de Campos - O lamento na íntegra no blog do Herval Junior.

Marcelo Siqueira disse...

Os milicos estão morrendo de medo do Amorim, eles têm coisas a esconder e não estão acostumados a democracia.