quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Louvável iniciativa!

A OAB nacional lançou, capitaneada pelo ilustre causídico Ophir Cavalcante, com toda pompa e circunstância, o portal Observatório da Corrupção, dentro das estratégias da entidade de classe de articular o combate a essa nefasta prática política brasileira, que nem de longe alcança as hostes dos dignos advogados. E muito menos os "honestos" eleitores.

A pretensa posição, a referência de um observador, é a de quem olha sobre ou acima do fenômeno alvo de sua vigilância.

É interessante. Será que o observador Ophir vai sugerir uma observação sobre os casos freqüentes de fraudes na prova da OAB, ela mesma uma excrescência inconstitucional e autoritária, que usurpa funções de regulamentação do ensino que não são da Ordem, mas do poder executivo, através do MEC?

Ou quem sabe irá o preposto representativo dos causídicos propor uma revisão nos conceitos éticos, ao devassar os honorários auferidos junto a traficantes e outros criminosos, que são comumente qualificados como pintores de parede, mas que arcam com  despesas (e honorários) milionárias, e incompatíveis com condição sócio-econômica declaradas?

Será que Ophir irá perguntar aos advogados de Fernandinho Beira-Mar, que nunca trabalhou em atividade lícita, ou ao menos, a ponto de que essa lhe conferisse posses para pagar honorários da defesa de inúmeros processos pela prática delitiva, de onde vem esse dinheiro?

Se tudo for proposto e executado desta forma, cortando exemplarmente a própria carne, teremos, enfim, um valoroso exemplo dos indispensáveis e humanos advogados, peças chave do Estado de Direito, e por isso mesmo, nem mais, nem menos corruptos que nenhuma outra categoria inserida na sociedade.

A melhor forma, senão a única, de ensinar é o exemplo! Como a melhor maneira, senão a única, de reformar o mundo é começar dentro de casa!

Caso contrário, teremos, como em todas as inciativas, como o controle social da UENF, por exemplo, observadores de olhar seletivo e vesgo!

Nenhum comentário: