segunda-feira, 8 de agosto de 2011

CLÍNICA RENOVA: ONDE O ÚNICO TRATAMENTO EFICIENTE QUE RECEBI É O DE IDIOTA!

Quase sempre evito falar dos meus infortúnios aqui nesse espaço, embora esse seja um espaço de natureza pessoal.

Mas hoje, um acontecimento me levou a querer denunciar um abuso praticado por médicos e clínicas privadas, tudo com "extremo bom gosto, música ambiente e salões refrigerados".

Sabemos das dificuldades do exercício da medicina, e entendemos que saúde pública não pode, e nem deve, ser dividida em medicina particular (paga por clientes, grupos ou empresas) e o atendimento gratuito(a cargo do SUS). Isso quem diz não sou eu, mas médicos de M maiúsculo, como Adib Jatene e Ryad Younes, dentre outros.

Essa falsa divisão é fruto de uma visão elitista de medicina, e só reforça a criação de mitos e de propaganda enganosa. Pela justificativa da primazia do privado sobre o público, trata-se mal pacientes pobres, e de outro lado, cobra-se muito dos pacientes privados, para tratá-los com exclusividade.

Na verdade, quando dividem a medicina a partir da fonte que os financia, reservando o respeito e o tratamento mais adequado a quem paga, transformam-se no principal entrave pela luta de seus colegas por uma saúde pública e universal, qualquer que seja a origem dos recursos que os remuneram.

Bom atendimento é regra universal, ou pelo menos deveria. Mas não é o que acontece com o setor público, e ao que parece, a má medicina contaminou o "eficientíssimo" atendimento privado.

Basta ver o número de reclamações contra empresas de medicina de grupo e planos de sáude. Basta olhar as salas de espera de alguns médicos.

Disse isso tudo para postar meu desabafo de integrante da classe média C, recém chegado ao mundo das clínicas particulares, e aos procedimentos financiados através do meu plano de saúde ou diretamente por mim, no balcão da clínica.

Confesso: Cai no conto do vigário. Cedi aos apelos da propaganda insistente da sala de espera, que se repete ad nauseam na clínica RENOVA, propriedade dos socialites e jet-setters casal 20 da medicina local, os khoury.

Certo tempo atrás, enquanto esperava minha esposa, marquei uma consulta pelo meu plano de saúde, para fazer os exames cardiológicos preventivos do 40 anos com a renomada doutora khoury.

No dia marcado cheguei pontualmente no horário previsto, e encontrei duas senhoras em estado colérico na sala de espera. Estavam há duas horas sentadas, sem qualquer justificativa.

Isso acontece, eu pensei, afinal, medicina e seus procedimentos não são exatamente limitados pela nossa noção "mortal" do tempo. Os deuses doutores têm seus desígnios. Ai de nós questioná-los.

Fui atendido 02 horas depois, como as senhoras que esperaram mais um hora.

Lá dentro, de posse do meu exame de eletrocardiograma, a doutora fez os exames clínicos e me disse que havia uma hipertensão no meu encalço, e de números graves, 18 por 12.

Sobre o exame, lhe perguntei se as curvas de freqüência do coração estavam certas, e para minha surpresa ela tascou:

"Houve um probleminha na onda positiva, mas você não vai entender do que se trata"

Como assim, doutora????
Pensei e entubei, e ao invés dela me dizer, comecei e especular sobre o que se tratava:
O coração abre e fecha como um pulso para bombear sangue. O "eletro" é a representação gráfica desses pulsos em ondas elétricas, e para distinguir o movimento de sístole (contração) e de diástole(relaxamento), essas ondas são positivas(onda para cima no eixo x e y) e negativas (para baixo no eixo x e y). Desculpem os médicos de verdade se eu estiver errado, mas é isso que deduzi na ausência de uma explicação. Isso é o mais próximo que um idiota como eu consegue explicar.

Claro que ninguém vai ao médico por saber se auto-diagnosticar, e mesmo eles vão a outros profissionais porque não sabem tudo, embora acreditem no contrário.

Mas o papel do médico é justamente traduzir os procedimentos e seus diagnóstico em linguagem que você possa compreender, ou não? Ou é um sacerdócio oculto que você deve se submeter à espera de algum tratamento e cura milagrosas?

Não sei.

Eu não iria tocar nesse assunto, e o fato se deu há duas ou três semanas.

Pois bem, hoje, novamente fui a clínica, desta vez seria a minha esposa atendida pelo sr khoury, angiologista renomado, e expert no tratamento do sistema vascular dos membros inferiores, as populares varizes.

Novo chá de cadeira, e dessa vez, com uma hora e cinco minutos de atraso, resolvi protestar.

Imediatamente, as atendentes que fingem que sua espera é normal(não é culpa delas, afinal), e fazem aquela cara de paisagem, intercederam e comunicaram ao senhor khoury, que nos fez entrar em uma outra sala.

Atendimento? Nada, entrou o senhor khoury e me perguntou se tudo estava bem, e lhe respondi: Claro que não, como ficaria com tanto atraso.

Eis as justificativas do "colunável" ou "citável"(como preferem alguns colonistas):

"Meu amigo, a gente não tem controle do tempo, se o senhor tinha urgência, eu lhe atenderia antes, era só falar".

Mas o que é isso afinal? Então na ausência de critérios, fica a minha noção de urgência (e de todos os pacientes) para definir o tempo de espera? E se todos estiverem com pressa, como aliás, quase todos nós sempre estamos? Vai ser atendimento quem berrar mais alto(como nas filas dos pobres), ou será uma escolha pessoal do doutor? Ou um sorteio?

Bom, mas o melhor veio depois: A mais cínica e descarada confissão do que chamei de overbooking do atendimento médico, pois disse o senhor khoury:

"meu amigo, com um absenteísmo de 40%, nunca conseguimos cumprir horários".

É isso, senhores, pela falta não comunicada dos pacientes que marcam e não vão, os médicos e donos de clínica, que pensam como o senhor khoury(favor não generalizar), sobrecarregam suas agendas, e tornam o tempo dos que chegam na hora um artigo descartável e objeto do mais puro desrespeito.

Tempo é dinheiro, pelo menos os dos médicos que exercem a profissão como se vendessem sabão em pó. Só o seu tempo não vale nada, é claro.

Enfim, nem adianta tentar argumentar que não praticam overbooking, pois se não o fizessem, como noticiei, os horários vagos serviriam para atender os que lá estão no horário certo, antecipando as consultas.

Em resumo: Se quer respeito ao seu tempo, e um diagnóstico claro, não procure o casal khoury.


Eu creio que de tanto fazer propaganda de esteticismo e posar para fotos, o casal esqueceu que forma sem conteúdo não vale muita coisa, pois não se engana todos por algum tempo, nem alguns por todo tempo. 


Irônico é assistir esses médicos reclamando na fila dos check-in de aeroportos, bradando e rosnando para os holofotes do PIG o caos aéreo, provocado em parte pelo mesmo método que eles adotam: "Vender mais lugares que podem atender, pela ausência de uma parte dos que reservam lugar e faltam: O popular overbooking.




Atualização: Aí pessoal colonista social e congêneres, a julgar pelos acessos  ao texto já vai dar para vocês aumentarem a "tabela de citação" para publicar  o "desagravo". Não precisa "agradecer", é só mandar a minha parte, rs.

19 comentários:

ativista disse...

Da hora teu blog
Seguindo certo,me segue ai tbm.
http://www.hiphopface.org/
abçs
@Ativista2

douglas da mata disse...

Fala ativista, coloquei na lista de blogs aí do lado seu link.

firrrma!

Anônimo disse...

Não quero generalizar, mas tenho observado q nas clínicas em Campos os atendimentos q tenho recebido é desse nível, ou falta de.
Uma falta de respeito ao paciente q vai do porteiro ao renomado médico.
Em qualquer profissão a banalizaçao é condenável, mas em se tatando de saúde é um absurdo!
A profissão médico é assunto em muitas reportagens. Como está se formando pessoas sem capacidade p tal função. Logo, os q trabalham c eles n tem um boa referência.
Respeito! Palavra mágica q não tem contra indicação!

Anônimo disse...

Eu estou fazendo um tratamento sério de saúde e além de conviver com essa situação tenho q enfrentar os maus médicos e funcionários do plano unimed q estão despreparados p atender os clientes.
Sem falar q tem o hospital do plano afastado da área central da cidade e vc além de pagar o plano, tem q pagar pelo estacionamento.
Ou seja, somos tratados como um cliente de uma empresa qualquer sem a mínima preocupação de atender diferenciado por se tratar de saúde e q as pessoas precisam ser tratadas c educação e respeito.

Anônimo disse...

é um absurdo isso

pior é que invariavelmente eles nunca chegam no horário da primeira consulta. daí o atraso é maior

pior são os cancelamentos INJUSTIFICÁVEIS de exames

e por ai vai

abs antonio

douglas da mata disse...

A saúde pública como um todo passa por uma crise.

Não podemos generalizar, nem resumir tudo ao exercício da medicina, e dos médicos ruins.

Temos problemas acadêmicos (formação), proletarização da profissão, condições ruins de trabalho, problemas de financiamento, e outros gargalos.

Mas por outro lado, o excesso de especialização foi a saída mercantilista dos médicos, junto com o uso do argumento de que é possível um atendimento superior em "hotéis clínicos" ou "espaços exclusivos de tratamento", quer dizer: quem pode é bem atendido.

Como vemos, não é um problema simples e meu desabafo foi para jogar luz nessa questão.

O CREMERJ, sindicato dos médicos, etc, deveriam atentar para esse fato, e orientar seus associados a guardar certa ética e evitarem esse tipo de banalização do atendimento e da relação médico x paciente.

Fica a pergunta: se atendem assim em seus "santuários privados", como agirão nos plantões?

E mais uma vez: não podemos generalizar, esse foi só um caso infeliz inserido em um contexto trágico da saúde pública municipal(pública e privada)

Um abraço.

Anônimo disse...

Como usuario de plano já estou acostumado com a espera, cheguei a conclusão que é um SUS que me come quase 300 pratas por mês, pois, o plano não te dá facilidade nenhuma, quando consegue marcar uma consulta com um bom médico tem que se esperar no mínimo 2 meses, isso se o médico ainda estiver no plano. Depois do calvario nº1, passamos pelo 2º, que é marcar os exames, que dependendo da complexidade tem que ser autorizado pelo bendito plano e aí vem o 3º, mostrar os exames e muitas vezes ouvir que é virose. Conversando com alguns médicos conhecidos a justificativa para a espera e a consulta relâmpago é a que os planos pagam miséria e o pior, se acontecer algo de mais grave para eu procurar o Ferreira Machado, pois lá, se encontram os profissionais mais gabaritados em casos de urgência. Sou ou não sou um otário.

Anônimo disse...

Muito bom este post, douglas.
todo mundo fala de juizes, vereadores, prefeitos, empresários, secretários, de vários profissionais das várias áreas.
No entanto, parece que existe uma redoma de vidro em torno dos médicos, que se acham acima do bem e do mal. Nunca vi ninguem citar o nome de um médico em uma reclamação (sempre o sujeito é oculto).Pior quando se trata de ambulatórios e de emergências dos planos de saude.
O dia em que os pacientes começarem a ter a coragem de processá-los, num instante isso mudo.
mas todo mundo engole esse sapo.
um profissão tão nobre ....
abs antonio

Anônimo disse...

Adivinhe quem bloqueava os sinais de celulares no Pacaembu. Que ‘grande emissora’ se acha acima do bem e do mal desde os tempos da ditadura militar?



Só faltava essa...

Não falta mais.

A Folha de S. Paulo finalmente desvendou o mistério do Pacaembu...

Por que os sinais de celulares...

E os computadores sofrem tanto com a conexão com a Internet...

A Anatel descobriu que os sinais de celulares estavam bloqueados...

Porque interfeririam nas imagens de alta definição...

A solução desta "grande emissora", como coloca o jornal foi simples...

De polícia...

Bloquear os celulares e acabou...

Todos os que ficavam em um raio de 1,6 quilômetro do gramado do estádio...

Usar o telefone no Pacaembu passou a ser uma tristeza...

Muito pior do que na África do Sul, por exemplo...

As pessoas não se conformavam como o sinal era fraco...

Ligações não se completavam...

Ou simplesmente caíam...

O mesmo estava acontecendo no Canindé, Moisés Lucarelli e Brinco da Princesa..

A Anatel simplesmente multou a 'grande emissora' que decidiu agir como polícia...

Já que só nos presídios estão liberados os bloqueadores de celulares...

Um doce de coco para quem adivinhar qual seria essa 'grande emissora'...

Que ainda pensa que manda no Brasil...

A ponto de instalar um bloqueador de sinais de celulares...

E não dar satisfação a ninguém...

Como estivesse no quintal de sua casa...

Uma só chance, vai...

E uma dica...

Ela cresceu muito na época da ditadura militar...

Muito...

Marcelo Siqueira disse...

Parabéns, você escracha, a gente, a gente só fala à boca pequena.

Anônimo disse...

E por falar em malcaratismo e inércia, bem que a nossa Câmara de Vereadores poderia regulamentar o tempo de espera nos consultórios médicos e clínicas deste município, a exemplo do que foi feito nos bancos e acabou dando certo.
Estou cansado de marcar horário em consultórios médicos, chegar na hora e ser atendido com, no mínimo, uma hora de atraso.
Já presenciei médicos que atendem imediatamente as consultas particulares, pagas à vista, e deixam os clientes de plano de saúde esperando.
Acho que é por isso que na hora de marcar a consulta eles te perguntam qual é o seu plano de saúde, pois se for particular a vaga e o atendimento são imediatos, na frente dos idiotas como eu, que pagam plano de saúde.
O desrespeito não é só na Clínica Renova, onde também já presenciei, mas sim na grande maioria dos consultórios médicos da planície lamacenta, a começar pela própria Unimed, que vive administrando filas em sua emergência.
Falo da Unimed porque a conheço e acompanho a degradação dos serviços há quase vinte anos, mas em outros planos de saúde a situação não deve ser diferente.

Anônimo disse...

Oportuníssima, brilhante e destemida avaliação.
Este blog poderá estar, com a iniciativa, inaugurando um movimento que atenda principalmente os portadores de planos de saúde.
Parabéns!

Anônimo disse...

Gostaria de deixar aqui um comentário a respeito desse assunto.Sou cliente há muito tempo da Clínica RENOVA,além de acompanhar minha mãe,também cliente,a todas as suas consultas.Nunca recebi um tratamento que não estivesse à altura do conceito que tenho dessa renomada clínica,muito menos a minha mãe.Atrasos em atendimentos médicos acontecem,e como o blogueiro citou,realmente o tempo do profissional da medicina é diferente do nosso,já que está sujeito a imprevistos tais como cirurgias de emergência,além de outros procedimentos emergênciais que não estavam programados.Acredito que o que se passou com o senhor, deve ter sido uma exceção.E não sejulgue um idiota:em algum momento todos nós,com certeza,o somos.

douglas da mata disse...

Car(o)a comentarista,

É direito seu ficar satisfeita(o).

Mas veja que há uma diferença entre atrasos procedimentais e ocasiões de urgência/emergência e a prática descrita por esse blogueiro(overbooking).

Leia de novo o texto, e veja que as palavras não foram inventadas por mim, foram ditas pelo DONO da clínica, na sua sala de pré-atendimento: Ele marca mais do que pode atender porque tem gente que marca e não vai. Como se fosse um balcão de qualquer outro produto.

Quanto ao diagnóstico não fornecido, também narrado por mim, pois a doutora não se dignou a "traduzir" sua indevassável ciência para esse pobre mortal, eu já coloco na categoria da arrogância típica dos que desrespeitam a relação médico x paciente, aliás, já tão desgastada.

Mas como vemos, tem pessoas (como (o)a comentarista) que não se importam e ficam "agradecidas" por receberem o que lhes é devido como um "favor especial", o que denota, no fim das contas, que estão, realmente no lugar certo, sendo atendidas pelos médicos e profissionais certos.

De qualquer forma, pelo número de "idiotas" como eu que reclamaram aqui, posso supor que você seja um(a) pessoa de sorte. Aproveite.

Anônimo disse...

OBRGADA POR ME CONSIDERAR UMA PESSOA DE SORTE.MAISUMAVEZ REITERO A MINHA SATISFAÇÃO COM A CLINICA RENOVA,POIS É A PURA VERDADE.QUANTO ÀS SUAS RECLAMAÇÕES,O SENHOR TEM TODO O DIREITO DE EXTERNÁ-LAS.NÃO PONHO EM DÚVIDA SUAS INTERPRETAÇÕES DO ASSUNTO,MAS AINDA ACHO QUE O EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES DA ÁREA DE SAÚDE,SÃO PASSÍVEIS DESSES ATRASOS.OU OSENHOR NUNCA "ESQUENTOU" CADEIRA NUM GABINETE DENTÁRIO?

douglas da mata disse...

Comentarista,

letras em caixa alta, na linguagem da rede, é considerado grito, e isso não parece combinar com "seu estilo", educado e paciente.

Vou repetir, e quem sabe eu devo desenhar: O motivo da espera está no texto e nas palavras do "dotô", o mais puro e cínico mercantilismo médico.

Outro motivo de insatisfação, e mais grave que a espera foi a qualidade do atendimento da "dôtora", que se negou (ou não sabe) a "traduzir" um diagnóstico sobre a MINHA pessoa, ou eu não tenho direito a entender o que se passa comigo? Devo ir a uma rezadeira? Pois só nessas "profissionais" a gente se submete por fé cega.

Diante de sua insistência em ler e não entender, sugiro que você procure outro profissional, quem sabe um oftamologista ou um psquiatra ou neurologista, pois pode ser um problema clínico na visão, alguma disfunção neurológica ou, enfim, distúrbio de comportamento.

Um abraço, e grato pela sua participação.


PS: depois passa lá na clínica e quem sabe, depois de tanta propaganda você não ganhe um desconto?

douglas da mata disse...

Para que fique claro, destaquei do texto o "motivo" da demora, que nada tem a ver com procedimentos ou emergências:

"(...)"meu amigo, com um absenteísmo de 40%, nunca conseguimos cumprir horários".(...)"

Quem sabe tenha ficado claro?

Anônimo disse...

essa justificativa de eventuais emergencias não cola pq nessas situações o profissional nem está no consultório e manda a secretária avisar aos que esperam. e convenhamos que a veracidade na maioria das vezes é duvidosa.
e o que dizer dos médicos que mandam marcar um só horário onde será atendido quem chegar primeiro.

Anônimo disse...

Fatos imprevistos acontecem, principalmente quando se trata de obstetras, mas não é o caso.
A classe médica, de um modo geral, está com uma cultura equivocada, estão marcando horários que sabem que não poderá ser cumprido, marcam mais consultas do que têm condições de atender. Já presencieir médico marcando consulta para às 8 horas da manhã e chegando no consultório às 9:50 para atendender o primeiro, que era eu. Mesmo tendo esperado desisti da consulta, até porque estava entrando no meu horário de trabalho, acabei desistindo do médico também. Mas isso não me trouxe alívio, pois o outro médico também não cumpriu o horário, mas desrespeitou menos o horário marcado.
Não sou de atrasar, e detesto os que me fazem atrasar.