domingo, 3 de julho de 2011

Os idiotas e os 439.

No caso do movimento dos bombeiros, que resultou na prisão de 439 servidores, ficou bem clara a distinção entre dois tipos de idiotas:

Os idiotas como nós, que acreditavam que de nada resolvia impor o formalismo da lei militar, dentro de um contexto político severo e árido, onde a própria noção de autoridade, que se dizia desafiada(a do governador e dos comandantes da tropa), se diluiu na ilegitimidade autoritária das suas ordens, que ignoraram a situação de penúria e a justiça dos pleitos.

Havia, por outro lado, os idiotas legalistas, ou militares, de posse de códigos e formalidades, colocando a segurança jurídica, a hierarquia e a autoridade acima de valores e princípios muito mais amplos e abrangentes que o rigor que pretendiam.

Os idiotas como nós, enxergavam a prisão como forma de intimidação e "criminalização" do movimento reivindicatório (prática comum entre governantes), pois se houve crimes, seria correto apurar a responsabilidade de cada um, e dar a punição correspondente, e não usar a privação de liberdade de forma generalizada e indiscriminada, nivelando todas as condutas. Ou como instrumento de intimidação, como disse a juíza que manteve a prisão, como se a força fosse suficiente para podar a luta para satisfação de direitos.

Resultado: Depois do ato autoritário, a autoridade se viu sem lastro para o exercício da hierarquia, e teve que recuar. O poder político socorreu e promoveu anistia.

Tudo bem, todos nós idiotas e os idiotas formalistas estamos satisfeitos. Salvo por um detalhe:
A lei e o rigor que defendiam para enquadrar os excessos (que de fato foram cometidos) de alguns manifestantes foi pelo ralo, pois quando prenderam TODOS e criaram a necessidade de ANISTIAR TODOS, SEM DISTINÇÃO, deixaram de punir quem merecia, contrariando a necessidade de sanção que diziam defender quando vociferaram pela legalidade da prisão.

Em outras palavras: Os idiotas militaristas acabaram por premiar com impunidade quem, de fato, deveria ser punido. Nivelaram bombeiros que só estavam ali para pedir melhores condições, ainda que dentro do quartel-central, e outros poucos que se aproveitaram, em tese, para destruir o patrimônio público, como foi dito pela imprensa de coleira, pelos idiotas formalistas e o governo.

Como dissemos, o mundo de alguns idiotas, só há certo e errado, preto e branco, ou legal ou ilegal. O problema é que essa lógica de jardim de infância nem sempre dá conta das várias nuances que a realidade nos apresenta, e o que era legal, se torna, quase sempre, injusto.

Nenhum comentário: