sábado, 30 de julho de 2011

Leminski.

Para a noite que vira madrugada e que morre dia, vamos do meu predileto entre meus preferidos, Leminski:



Ai daqueles



que se amaram sem nenhuma briga


aqueles que deixaram


que a mágoa nova


virasse a chaga antiga

ai daqueles que se amaram



sem saber que amar é pão feito em casa


e que a pedra só não voa


porque não quer


não porque não tem asa
............................................................................
 amar é um elo



entre o azul


e o amarelo
.........................................................
 
viver é super difícil



o mais fundo


está sempre na superfície
 
******************************

Leite, leitura
letras, literatura,


tudo o que passa,


tudo o que dura


tudo o que duramente passa


tudo o que passageiramente dura


tudo,tudo,tudo


não passa de caricatura


de você, minha amargura


de ver que viver não tem cura


Todos de Paulo Leminski.

Nenhum comentário: