quarta-feira, 15 de junho de 2011

A vida imita a arte.

Se o cinema tem Sexo, Mentiras e Videotape, o governo do Estado tem Orçamentos, mentiras e salários.

É quase um pleonasmo dizer que um Orçamento público, elaborado e enviado aos parlamentares pelo Poder Executivo, que na casa legislativa pode ser emendado, aprovado, rejeitado em todo ou em parte, é o que define a prioridade que o governo dá as suas políticas públicas, e enfim, ao atendimento e proteção das demandas dos contribuintes.

Ora, se assim o é, como entender que um governo que pretende desapropriar terras no Açu para entregá-las a um  bilionário, que dá subsídios fiscais a empresários do ramo automobilístico, e joga nos ralos da CBF,  FIFA, COB e COI, bilhões de reais para que essas entidades PRIVADAS possam lucrar com eventos globais, declare ao público que não dispõe de recursos para pagar salários dignos aos seus servidores?

Isso sem mencionar os milhões de reais pagos a agências de propaganda, como forma de domesticar os meios de comunicação de massa, sempre famintos por verbas públicas.

Então combinamos assim: Quando o governo do Estado for falar de dinheiro público, ele deve mencionar, sem rodeios:

"SERVIDORES, VIREM-SE COM SEUS SALÁRIOS, POIS O DINHEIRO PÚBLICO ESTÁ DESTINADO A OUTRAS PRIORIDADES".

Pelo menos, a conversa fica em patamar mais realista. Sem maquiagem, sem efeito especial, e sem dublê!

O governador do Estado é um grande roteirista, pois veja o filme que pretende encenar:


LUZ, CÂMERA, EXPLORAÇÃO!


No elenco: Servidores-mocinhos com atuação de Hollywood, mas paga cachê de servidor-bandido da Boca do Lixo:

Se vai ganhar o Oscar, eu não sei. Mas o meu voto, NUNCA MAIS!

Nenhum comentário: