domingo, 5 de junho de 2011

Notícias do Planalto.

Eis que pela caixa de e-mail nos chega a informação. No que nos diz respeito, aqui no PT/RJ, a saída de Luiz Sérgio do ministério e sua volta a Câmara, derruba Chico D'Ângelo (*) da cadeira de deputado federal. A julgar pelas palavras do informadíssimo Kotscho, Luiz Sérgio só fazia papel da papagaio de pirata de Pallocci. Logo, aonde vai a corda, vai a caçamba.
É o que sempre dissemos do PT/RJ, que, no fim das contas, reflete o perfil de seu presidente estadual, que sempre prefere ser rabo de elefante que a cabeça de mosquito.

Atualização para corrigir informação, com a colaboração do leitor:

(*)Anônimo disse...
Na verdade quem sai, com a volta de Luiz Sérgio para Camara é a Eliane Rolim, visto que é a 2ª suplente em exercício (Chico D'Angelo permaneceria no lugar do Bittar que continua na equipe do Sérgio Cabral).
6 de junho de 2011 15:28

Confirmei na manhã deste domingo, com fonte da minha total confiança, uma informação que vinha apurando desde ontem: chegou o fim da linha para o ministro Antonio Palocci, chefe da Casa Civil, que a partir de agora pode ser demitido a qualquer momento.
Não houve uma gota d´água. Foi o conjunto da obra que deixou Palocci nesta situação, sem contar com o apoio de mais ninguém, e à presidente Dilma Rousseff só resta agora encontrar um nome para substituí-lo.
Pegou muito mal o ministro não ter mostrado nenhuma indignação diante das graves denúncias feitas contra ele nas últimas semanas durante as entrevistas que concedeu à Rede Globo e à Folha, os dois orgãos por ele escolhidos para falar ao país. Na verdade, as entrevistas e as novas denúncias publicadas no final de semana apenas pioraram um quadro que já era irreversível.
O mais provável é que Dilma aproveite o desfecho da maior crise do seu jovem governo para fazer uma reformulação geral na articulação política, que já não vinha dando bons resultados antes mesmo das denúncias contra o ministro Antonio Palocci.
Para isso, ela vai ter que conversar com os líderes do PT e do PMDB, os dois principais partidos aliados, que estão descontentes com o governo e brigando entre si pelos cargos que ainda faltam ser distribuídos no segundo escalão.
Junto com Palocci deverá sair também o ministro Luiz Sergio, das Relações Institucionais, abrindo vaga para que efetivamente Dilma coloque no lugar alguém que faça a relação do governo com o Congresso e os partidos, papel que era centralizado por Palocci.
Diante da falta de bons quadros sobrando na praça, o problema é achar este nome sem desagradar mais ainda aos aliados, que certamente vão disputar o posto.
Para o lugar de Palocci, a presidente Dilma procura alguém com o perfil da própria Dilma, capaz de cuidar da gestão do dia a dia na Casa Civil, como ela fez no governo Lula, para que possa dedicar mais tempo à área política, o grande nó destes primeiros cinco meses de governo.
Agora é tudo só uma questão de tempo. A decisão está tomada. Ao completar três semanas,  a denúncia da Folha sobre a multiplicação do patrimônio de Palocci, que emparedou e paralisou o governo, a crise política pode estar chegando ao fim e nos permitir ter boas notícias na próxima semana.
Bom domingo a todos.

6 comentários:

Anônimo disse...

Já vai tarde! Um médico constituir empresa de consultoria em economia , concorrendo com tantas renomadas já estabelecidas e faturar uma verdadeira fortuna é um tanto absurdo.
Ou vendeu informações privilegiadas ou agora terá que devolver facilidades para pagar o que recebeu.

Anônimo disse...

Na verdade quem sai, com a volta de Luiz Sérgio para Camara é a Eliane Rolim, visto que é a 2ª suplente em exercício (Chico D'Angelo permaneceria no lugar do Bittar que continua na equipe do Sérgio Cabral).

Anônimo disse...

Fontes pouco confiáveis.
O corrupto ficará e o Governo Dilma sairá depreciado.
O PT está brincando com honestidade e achando que os eleitores aceitam e esquecem tudo.
O problema é que falta uma oposição que ostente um mínimo de boa intenção, aí é que o PT se beneficia.

douglas da mata disse...

Bom, isso é com o Kotscho.

Mas me impressiona o simplismo generalizante do raciocínio:

resume questões de governo ao PT, que sabidamente, têm várias correntes, nem todas elas alinhadas ao pensamento dos eleitores.

outra, simplificação: corrupção é coisa do PT e a oposição só falta "boa intenção". Ahhh, sei, quem sabe eles não estejam procurando essas boas intenções lá no inferno, que delas está cheio?

de acordo com o procurador-geral não há justa causa, nem indícios crime, aí incluídos os de corrupção.

então vamos situar o debate:

o problema de nossa DEMOCRACIA, e não só do PT ou da oposição, é o assédio das grandes corporações que "compram" ou "alugam" as agendas de governos, com notório conflito entre o interesse público e o privado.

imaginar que a corrupção é só um problema de "caráter" é ser ingênuo ou cínico.

como os que reclamam dos políticos, mas votam nos piores.

ou os que reclamam da corrupção policial, mas sempre gostam de ter um "à mão" para resolver seus problemas com a lei, dando uma "cervejinha".

um abraço.

douglas da mata disse...

Bom, parece que o anônimo que reclamou da informação, "queimou" a língua.

tsk, tsk, tsk.

Anônimo disse...

É, queimei mesmo, mas estou muito satisfeito por isso.
Prefiro ter errado a ter que engolir o sapo demissionário.
Quanto a corrupção, nossos olhos agora tem que estar voltados principalmente para a base governista, pois é ali que está o dinheiro.
Não tenho a ilusão de achar que o Governo FHC ou os outros anteriores foram menos corruptos que o do PT. Acho o contrário, a única diferença é que eles faziam banquetes de corrupção para políticos e empresários e levavam a grande mídia do PIG para "comer" junto, por isso não sobrava nada para o povo e nada aparecia.
O PT ainda é o menor dos corruptos, mas, como qualquer outro partido, não é totalmente confiável.
A sorte é que com o PT até a mídia virou policia, enquanto com o PSDB, a mídia era apenas beneficiária da corrupção. Perceba, estou falando somente da parte mais forte da mídia, aquela conhecida como PIG.
Saudações!