domingo, 12 de junho de 2011

A "eficiência" privada sobre a burocracia estatal!

Incensado como um fenômeno das finanças e dos empreendimentos de larga escala, o imperador de SJB e arredores foi "estrela" de uma reportagem do jornal O Globo.

Com certeza, trata-se de algum cochilo de seus assessores de propaganda, que deixaram "passar" uma matéria dessas e, ou o jornalão resolveu "apertar" para conseguir "algum".

Mas de qualquer forma, o conteúdo é revelador.

Os detalhes você lê aqui.

O assunto é relacionado as aquisições de terra na cidade de Itaguaí, onde a empresa MMX tem negócios em expansão.

Uma estranha situação onde autoridades locais, responsáveis por informações fundamentais e desembaraçamento de entraves burocráticos, compram terrenos por uma "ninharia" (50.000), que depois serão vendidos a MMX por 20.000% o valor de compra, ou seja, cerca de 10 milhões de reais.

A nossa mídia local, que come na mão do empresário e, por exemplo, achincalhou o ministro pallocci sobre suas relações empresariais, surpreendentemente, parece não ter lido o jornal, muito menos os blogs locais, dado o silêncio.

Como se não bastasse, a reportagem deixa transparecer que o esquema de informações privilegiadas irriga não só as contas particulares, mas o financiamento de campanhas políticas.

Mais uma vez, cai a máscara ideológica dos que pretendem laurear a inciativa privada como detentora de todas as virtudes, frente a voracidade de servidores públicos e da burocracia estatal.

A relação entre esses empresários e setores do Estado é um sistema azeitado e que se destina a promover facilidades, que driblam as formalidades que servem não como impedimento, mas acima de tudo, como controle social e proteção dos interesses públicos.

Tudo com o aplauso domesticado e deslumbrado dos nossos colonistas locais!

Seria o caso de algum integrante do Ministério Público dar uma olhada nos registros de imóveis do 5º distrito de SJB, e nas recentes transferências de propriedade, bem como nos registros das juntas comerciais?

Nenhum comentário: