quinta-feira, 16 de junho de 2011

Como não fazer nada, e dizer que as coisas estão "andando".

Quando esse blogueiro militava na política partidária, e sofria com a "chacotas" dos que diziam ser o PT incapaz de governar ou prover soluções para qualquer problema de ordem prática, diziam que para avançar sobre o tema, teríamos que convocar um assembléia, para tirar uma comissão, que faria um texto-guia, que seria submetido a uma plenária, etc, etc, etc.

Esses tempos passaram, ao menos, em tese. Hoje, para o bem ou para o mal, o PT é governo, e abandonou o assembleísmo.

Mas no PT de Campos dos Goytacazes (existe PT em Campos dos Goytacazes?), as coisas não se "atualizaram".
Alguns integrantes do partido adoram relatórios, oficios, dossíês, que são entregues a ministros, e outros barnabés de menos importância.

No caso da saúde pública, foi aquela vergonha: O PT não teve peso suficiente para criar um fato político relevante na visita do ministro Padilha(vai para casa,Padilha!), para colocar na agenda um debate sobre o descalabro sanitário local.

Já no caso das "meninas de guarus", a coisa anda bem mais devegar! Infelizmente, para as vítimas, é claro.

Hoje, alguns blogs  e a própria vereadora do PT noticia que as "denúncias" chegaram a Brasília! Ufa, demorou hein? Será que foram enviadas por pombo correio ou em uma garrafa?

Bom, se foram, chegaram ao local errado.

O que o caso precisa é de INVESTIGAÇÃO POLICIAL ou PARLAMENTAR, sob forma de inquérito ou comissão parlamentar de inquérito.

É claro que os direitos humanos violados devem ser alvo de proteção, mas se já o foram pela prática dos crimes, a lentidão e covardia das autoridades locais e federais na apuração já são PER SI, violações maiores a esses direitos.

Esperemos mais dois ou três anos, e quem sabe o calhamaço consiga pular da gaveta da Secretaria dos Direitos Humanos e migrar de volta para outra do Ministério da Justiça, de onde nunca deveria ter saído.

Até lá, quem sabe, a prescrição chegue mais rápido.

E para encerrar, uma outra dos tempos da militância bem-humorada, embora o tema seja grave e sério:
Pr'á que PT, PT pr'á quê?

3 comentários:

Anônimo disse...

PT local, não. Sou do PT nacional.
A vereadora petista não faz nada. E qdo faz, tem sempre uma crítica. Se é questionado, elocubra textos(q são sempre intermináveis)usando termos chulos para defender a sua (sempre certa) opinião.
Vai dizer q ninguém precisa acompanhar seu blog. Ler quem quer. Claro, mas se escreve é pra ser lido e saber conviver com as diferenças de opiniões. Se não quer ser questionado, ou elogiado, se tranque no quarto e fique falando sozinho. Ou pega um megafone e vá pra praça pq as palavras vão ao vento...

Anônimo disse...

Eu sei q vc não pode ser contrariado q sai escrevendo um monte palavrão e dispensando a leitura dos q aqui o lêem, mas eu fico intrigado como uma pessoa tem solução para todos os problemas não busaca um meio de colocar isso em prática. Vc é filiado ao partido PT, mas o detona. Não seria mais sensato q vc estivesse la dentro tentando colocar isso em prática?Ah, tá vc vai dizer q é do nacional(comodo,né?). Não sei pq tanto ódio tb qto a veradora do seu partido. Ela não faz, vc malha. Ela faz, vc debocha...Cara o seu prazer é só criticar. Vá a luta! Não precisa responder me chamando de idiota( e outors "elogios" q costuma fazer a quem não é obrigado a concordar c vc). Sou um cidadão politizado sem estar filiado a nenhum partido e gostaria de ver minha cidade (sem utopia)um modelo de administração, pq tem dinheiro pra isso, mas faltam pessoas séria p coloca-la no eixo. Use a sua inteligência, o seu partido p o bem!

douglas da mata disse...

Ao primeiro comentarista,

Suas impressões sobre o editor do blog são desnecessárias, porque nenhum impacto terão sobre o blogueiro, sua conduta, ou o estilo dos textos.

Defender a vereadora atacando quem a critica só demonstra o óbvio: Não há argumentos!

Ao outro comentarista:

As minhas reações dizem respeito a mim, mas se você realmente estivesse preocpupado (ou incomodado) com elas, não se daria o trabalho de vir aqui questioná-las. A não ser que isso seja alguma espécie de masoquismo. Eu presumo que há no comentário uma espécie de "provocação", quase um "pedido" para ser esculachado, mas hoje não!
Vamos contrariar você mais um pouco.

Bom, eu desafio alguém a mostrar nesse blog onde é que publiquei que tenho solução para tudo.

Na verdade, não sou eu que detesto o dissenso ou críticas, pois nunca me esquivo delas, embora seja acusad de prolixia ou aspereza nas respostas. No entanto, tenho o direito de conduzir os debates como eu achar melhor. Isso é um blog!

Enquanto as queixas estiverem relacionadas a forma, creio que não avançaremos muito, pois eu não estou disposto a mexer no estilo que gosto, e que no meu entender, cumpre o que pretendo.

Mas veja: no conteúdo das minhas crítcas em relação ao PT local e a vereadora e sua bisonha atuação, não houve nenhuma controvérsia, salvo a chorumela de sempre, que a coloca como pobre vítima incompreendida.

Vou repetir bem devagar, e se precisar, eu desenho:

1- A dúvida permanente ("duvidar de tudo, até da própria dúviva")é que gera conhecimento;

2- Esse conhecimento não tem que estar vinculado a uma situação de fato, ou o médico precisa ficar doente para curar? Ou pior: Você recisa comer cocô para saber que não deve?

3- Na verdade, eu não estou dentro do PT porque não há ambiente institucional para tanto, onde a maioria NUNCA pretende recnhecer e avaliar as posições minoritárias, porque encaram a hegemonia partidária como algo monolítico e destinada a varrer as oposições.
Mais ou menos como você menciona em suas criticas. Embora se diga não filiado, seu discurso parece ter saído de uma reunião do PT.

4- Em resumo: Não há como praticar e conviver politicamente com quem não acredita em política e democracia, ou só acredita se lhe favorecer.

Grato pelos elogios, e um abraço.