quarta-feira, 25 de maio de 2011

Rodízio de subsídios, ou: Agora é sua vez!

Depois de dois anos, irrigando com um rio de dinheiro as empresas de ônibus, a prefeita resolveu se lembrar que ela representa o poder concedente.

Um pouco tarde, é verdade. E nessa cidade, tarde é quase sempre sinônimo de nunca, pois vejam:

A concessão de serviços de transporte coletivo urbano prevê que as empresas estejam em condições de operação, e dentro das regras determinadas em edital de licitação.

Não dá para engolir que esses 24 meses serviram para financiar a renovação da frota, quando fornecer ônibus em condições de trafegar seria o mínimo necessário para pleitear a prestação do serviço.

Dentro do raciocínio da prefeita e seus fiéis e competentes assessores, o dinheiro público deve subvencionar essas empresas para que elas depois recebam mais dinheiro... e público! Uma mamata, não acham? É como dizer: olha, eu vou comprar seu produto sem licitação, e antes te dou dinheiro para você comprar o que você me fornecerá. Mais ou menos como as privatizações feitas com dinheiro público. Ou os "investimentos" da Águas do Paraíba com 72 milhões do BNDES. Uma teta!

Bom, como durante esse tempo todo, a prefeitura não deu o menor sinal de que era o responsável pela regulamentação do setor, as empresas, ou melhor, a maioria delas não se mexeu, e continuaram a circular com pocilgas sobre rodas.

O veiculo da Viação Tamandaré que mais circula é o guincho, e hoje pela manhã, um ônibus da linha Pernambuca-Rodoviária pegou fogo, após super aquecimento do motor. Saldo: três pessoas feridas!

Indignada, a prefeita e seus acólitos dizem: Acabou a paciência. A solução? Empresas de fora, sem licitação. Trocam as peças, mas o esquema continua.

Novos parceiros, novas "possibilidades". Prestação de contas? Controle? Qual nada, é o ônibus da lapa sem freio!

Dinheiro de royalties aqui é igual a rodízio. É só sentar, e "comer" até não agüentar mais.

"Vai um lombinho de contribuinte aí, patrão?"

3 comentários:

Anônimo disse...

Ontem a noite estudantes do iff faziam um protesto na 28 de março e foram atropelados por sandro moura, tem gente ate internado, pq ninguem escreve sobre isso? Tem boletim de ocorrência...

Anônimo disse...

Tem empresário comprando van pra circular a 1,50(quem autorizou este aumento?). Pra quê renovar a frota e ele pode continuar ganhando da prefeitura a fortuna do 1real e não pagar os encargos q uma empresa exige?

José Geraldo Pereira disse...

Estava voltando de São João da Barra, semanda passada, quando verifiquei um fato que me chamou a atenção e o qual reputo de lamentável. Acredite voce que os caminhões que trafegavam pela Alberto Lamego, ali do areal transitam pelo asfalto jogando grande quantidade de areia o que pode inclusive causar um acidente com consequências imprevisiveis. O nosso Código de Trânsito parece existir, mas as pessoas fazem questão de não observar que se trata de infração gravissima, senão vejamos: "Infração gravíssima: - transitar com o veículo;
I - danificando a via, suas instalações e equipamentos;II - derramando, lançando ou arrastando sobre a via: a) carga que esteja transportando; b) combustível ou lubrificante que esteja utilizando;c) qualquer objeto que possa acarretar risco de acidente;

III - produzindo fumaça, gases ou partículas em níveis superiores aos fixados pelo CONTRAN; IV - com suas dimensões ou de sua carga superiores aos limites estabelecidos legalmente ou pela sinalização, sem autorização." Respeite a Natureza" e também a vida humana em sociedade. A responsabilidade é do órgão dentro da cidade com atribuição de multar adotar todas as providências para coibir esse abuso. Não seria hora de uma ação da Secretaria do Meio Ambiente com a Guarda Municipal? Fica o alerta, quanto a transgressão das normas indicadas. É só verificar e constatar. O que é mais sério após isso, tive o cuidado de constar os servidores da limpeza todos os dias vão ao locas pela manhão procedem a limpeza e logo após está tudo sujo.