sábado, 30 de abril de 2011

Riqueza nada tem a ver com prosperidade...

O que, em suma, melhora a relação dos homens (e mulheres) entre si, e traz prosperidade, sempre foi a política, e em sentido mais amplo, a capacidade de exercitar tolerância e valores que resultam no fortalecimento da Democracia. Riqueza é uma coisa, prosperidade é outra. Há possibilidade de sociedades prósperas com baixo nível de riqueza.

Desenvolvimento econômico, salvo raríssimas exceções, nunca trouxeram desenvolvimento humano (lato sensu), porque os valores democráticos estão para além do conforto econômico. Ainda mais se considerarmos que o conforto econômico nunca é distribuído de forma isonômica.

A chegada de muito dinheiro dos royalties, per si, não explica a deterioração do ambiente político na região, nas cidades de Campos, Macaé, e outros satélites. Há outros componentes que se misturam como causa e efeito, mas a súbita riqueza, que até agora não significou prosperidade, aumentou sobremaneira a corrosão de nosso tecido social, e nos trouxe os efeitos colaterais inerentes, para os quais, não sabemos (ou não queremos?)obter respostas.

Eu pensei nisso tudo ao ler a entrevista do vereador Danilo Funke, do PT de Macaé, ameaçado de suspensão do mandato por publicizar votações da Câmara ao público. Impossível não enxergar angústia na sua fala.

Nessa região, soterrada em dinheiro, o medo segue vencendo a esperança. Há uma perigosa, e aparentemente irreversível, inversão de valores. Leia a entrevista, direto do blog do Roberto Moraes:

Sábado, Abril 30, 2011

“A democracia em Macaé tem que ser aprimorada, a cidade vai dizer isso a partir de agora”

O vereador Danilo Funke do Partido dos Trabalhadores de Macaé é protagonista de um momento que marca a história política do município.

Pela primeira vez, um pedido de cassação de mandato de vereador foi aberto contra um parlamentar da Câmara Municipal. O curioso é que a situação do vereador que será julgado pelos colegas é solitária na oposição dentre 12 parlamentares.

Os fatos que levaram a abertura do processo são: a divulgação em seu site oficial http://www.danilofunke.com.br de votação aberta numa indicação que sugeria a elaboração do Plano de Cargos e Salários dos professores da rede municipal e a transmissão on-line e ao vivo de algumas sessões plenárias da Câmara pelo twittcam.

O vereador foi denunciado por uso indevido da imagem dos colegas, porém ele acredita que a questão tem mesmo, é interesse político. Por conta da situação inusitada e dos argumentos que ele apresenta oblog resolveu ouvir o vereador Danilo Funke:

Blog: Como é fazer parte de uma Câmara de Vereadores numa disputa de 11 contra 1?

Danilo Funke – Acho que é um processo político que estamos aprendendo a lidar. Somos a única figura de oposição naquele espaço, às vezes um ou outro vota comigo em polêmicas, mas a pior situação é a solidão no plenário. Mas, desde que definimos disputar as eleições em 2008 topamos encarar a gestão pública municipal no viés da transparência e da participação popular. Acredito que Macaé está bem próxima de uma mudança de postura política em que todos os atos dos homens públicos não tenham problemas de serem também públicos.

Blog: Existe uma conversa de que o site do seu mandato divulgou imagens editadas e tenha utilizado informações falsas, como avalia isso?

DF – Sei que nesse momento vão falar de tudo, não é fácil enfrentar um sistema tão fechado. Em nenhum momento houve edição de nada. Nem nas fotos, que foram retiradas diretamente do site da Câmara Municipal de Macaé, nem nas filmagens que foram feitas em tempo real. Além disso, nosso grupo acredita que a imagem dos vereadores e de qualquer pessoa pública, é de domínio público. Não pode haver é edição ou alteração das imagens, o que não houve em nenhum momento. Menos de 15 minutos no ar, a pedido do Presidente da Câmara que me alertou da possibilidade de problemas, foram retiradas as imagens.

Blog: Mas e o texto, continuou lá, o que ele dizia?

DF - Sim, depois do alerta feito pelo presidente da Casa, ficou o mesmo texto, da forma que está lá, e sem o voto dos vereadores que rejeitaram. O texto fala o que de fato aconteceu. Tratar com informação é muito delicado. Se não houver condições da população acompanhar de fato todas as votações e debates o que vai para a sociedade são interpretações. Nosso site avalia de uma forma os fatos, um jornal de outra maneira e outro jornal de outra. Temos dificuldades para divulgar informações pela imprensa e nosso site é onde dialogamos com a população. Foi dito o que ocorreu na sessão, que oito vereadores votaram contra uma indicação e dois a favor.

Blog: Explique o que é uma indicação, e qual era sua proposta?

DF – Vereador pode atuar, principalmente, através de requerimentos, projetos de lei e indicações. As indicações não têm caráter de obrigatoriedade ao executivo. É uma sugestão apenas, e entendemos que é um instrumento legal de fazer pressão política. Isso que fizemos. No dia 12 de fevereiro, após assembléia dos professores do município, recebi a solicitação deles de apresentar uma proposta para colaborar na elaboração do Plano de Cargos e Salários do professores da rede municipal e garantir a paridade entre professores, sindicato e governo na elaboração. Naquele momento não havia discussão formal do poder executivo nesse sentido, acatamos a solicitação dos professores fizemos a indicação. A matéria foi votada no dia 12 de abril, exatamente dois meses após protocolo e duas semanas depois de começarem a discutir um plano.

Blog: A proposta foi rejeitada e você divulgou os votos?

DF - Exatamente. Ninguém da nossa equipe esperava uma repercussão dessa intensidade e nem houve má fé, ao contrário, é uma prática política nossa dar publicidade ao que deve ser público. As sessões da Câmara também. Desde 2009 estamos propondo isso, temos visto o esforço para que aconteça, mas queremos agilizar e colaborar. De maneira caseira e sem custo nossa equipe colocou uma webcam e um notebook e transmitimos algumas sessões ao vivo, sem cortes, sem edição. Um esforço coletivo de nossa equipe para colaborar para que população fique ainda mais perto da “casa do povo”.

Blog: Como você está encarando esse pedido de cassação?

DF - Tem dois lados, estamos todos, nosso grupo político, amigos e apoiadores encarando de duas formas. Uma é a sensação de tristeza, ninguém queria ter em nossa trajetória política um pedido de cassação. Na maioria da equipe somos jovens com história, militância e independência e compromisso de vida com Macaé, com a democracia, com um mundo melhor. Por outro lado é recheado de expectativas. Torcemos que haja respeito a democracia, ao bom senso, que percebam que é um grande exagero, até maior que o que talvez tenhamos cometido. Acreditamos que a sociedade macaense vai fazer uma imensa reflexão sobre o papel da Câmara de Vereadores para com a população e da população para com a Câmara. É urgente que tudo seja colocado as claras, é o povo que paga nossos salários e uma obrigação nossa garantir o controle social, fomentar isso, facilitar a aproximação da população.

Blog: Nas redes sociais e na internet há muita solidariedade. Como estão os apoios, tem recebido muitos?

DF – Isso tudo é bom por um lado, sabemos que independente do resultado na política, temos muitos amigos, muitos companheiros de caminhada, muita gente que gosta da nossa atuação e que admira tudo que fazemos. Nem todo mal é absoluto, há males que vem para bem. Estou recebendo declarações, notas, orientações de Deputados, Senador, Prefeitos, Vereadores de outros municípios, Movimento Sociais, Igrejas, partidos de esquerda, OAB tem dado sugestões, sindicatos.

Blog: O que espera de saldo final?

DF - A democracia em Macaé tem que ser aprimorada, a cidade vai dizer isso a partir de agora e vai dizer como quer participar. Em especial para mim, quebra aquela situação de solidão que passo no dia a dia do plenário, tive certeza que, seja qual for o resultado não ficarei sozinho, somos muitos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Aqui em nossa cidade a coisa também é muito ruim. Alguns nomes já estão se lançando como pré-candidatos a vereador de Campos, são eles: Sérgio Mendes, Alexandre Mocaiber, Sérgio Diniz, Toninho Viana, Nildo Cardoso, entre outros.
Há vários anos temos assistido câmras pouco produtivas e servil ao poder executo, e pelo jeito, vai ser assim novamente no ano que vem.
Acompanho esse blog a bastante tempo e adoro suas idéias, por isso gostaria de pedir que você, Douglas da Mata, se candidatasse a vereador, pois só assim terei vontade de votar e acreditar em dias melhores.
Fernanda (Parque Califórnia).

Anônimo disse...

Ainda bem que isso nunca aconteceria aqui em nossa cidade, pois em nossa cidade só tem vereadores democratas e transparentes. A não ser que Garotinho diga o contrário, pois o que ele diz é que vale.

Anônimo disse...

Precisamos de um vereador como o Danilo aqui em Campos.

douglas da mata disse...

Fernanda, grato pela confiança.