quarta-feira, 13 de abril de 2011

Poemas de lama.

Desejos de criança.

Mamãe quando eu crescer
Quero ser Manuel Bandeira
Que retira graça e poesia
De folha de jornal
Até briga de feira.
Mamãe quando eu crescer
Quero que minha poesia
Permaneça criança:
Inocentemene cruel!

Nenhum comentário: