segunda-feira, 25 de abril de 2011

Os valores democráticos ameaçados pelos "campeões da democracia"!

Esse tema é recorrente aqui.

Geralmente, os que mais se debatem por liberdades democráticas são aqueles que mais as ameaçam. Na verdade, utilizam o discurso das liberdades para esconder seus interesses em transformar valores e direitos em privilégios de uns sobre outros.

Os EEUU têm muito a ensinar ao mundo. São um povo formidável, um país dinâmico e com níveis de conforto, inovação tecnológica e amadurecimento institucional relevantes, ainda mais se considerarmos o "pouco" tempo de existência, apenas oito anos a mais que o nosso país, por exemplo.

Mas como todo povo, sem exceção, os EEUU têm muito a ensinar, mas também, muito a aprender.

Dentre os tópicos necessários a recuperação da imagem dos EEUU frente ao resto do mundo, e de sua legitimidade como potência econômica está o fim da hipocrisia, consagrada no faça o que falo, mas nunca faça o que faço.
Com o surgimento de outros eixos de poder geopolítico e geoeconômico no mundo (Brasil, Índia, Rússia, China, África do Sul, etc), não haverá tanto espaço para manobrar ideologicamente a agenda internacional, impondo os interesses de forma unilateral, como fazem os EEUU.
Se insistirem nesse comportamento, parece claro que teremos conflitos à vista, ou pior: acirramento dos conflitos regionais já existentes (Iraque, Palestina, Balcãs, Palestina, África, Coréia-Japão, Chechênia, Geórgia, etc), que se arrastarão para dissensos em escala global.

Leia o aqui texto que fala sobre a vergonha estadunidense de Guantánamo, e reflita.

Nenhum comentário: