terça-feira, 19 de abril de 2011

Notícias de São João da Barra.

Claro que fatalidades podem acontecer a qualquer um, e nenhum sistema de saúde é imune a falhas.
Mas quando se trata de atendimento de urgência/emergência, a adoção de procedimentos simples, que nem custam o preço de aparelhos de última geração, ou ambulâncias superequipadas (itens preferidos para as compras, que permitem sempre um "caraminguá" para a "caixinha") podem cumprir a tarefa, que afinal, é a essência e causa primordial de todo o sistema de atendimento público de saúde: Salvar vidas. E para isso, como dissemos, é preciso ter planejamento, coordenação, gestão e fiscalização, junto com a valorização e condições de trabalhos dos profissionais.

Como imaginar que um município que pretende decuplicar sua população em dez anos, e que já usufrui de um orçamento generosíssimo, não consiga dar conta dos 40 ou 50 mil habitantes que já tem? Como imaginar que as autoridades estarão à altura das exigências que as mudanças que acontecerão, que eles tentam nos convencer que serão em benefício da população, se agora, com pouca gente e muito dinheiro as pessoas morrem por falta de uma intervenção elementar em qualquer rede primária de atendimento?

Leia o que aconteceu em SJB, do blog do Herval Júnior:  Homem morre em São João da Barra por falta de socorro médico

2 comentários:

Anônimo disse...

Aécio



O silêncio do jornal “Estado de Minas” sobre o vexame de Aécio Neves no caso do “bafômetro” era absolutamente esperado, levando-se em consideração que durante anos se calaram para assuntos ainda mais graves.

Boa parte da imprensa de Minas Gerais é comprometida com o tucano, seja por recebimento de “benefícios” ou até por ameaças à liberdade de expressão.

Aécio age em Minas da mesma maneira que Sarney no Maranhão, Collor em Alagoas e o clã ACM na Bahia.

Com a diferença de que é ainda mais perigoso, pois, diferente dos citados acima, que possuem o povo no cabresto, o mineiro dá as ordens na imprensa, formando a opinião daqueles que não possuem acesso à informação qualificada.

Ou seja, acaba prendendo a população na falta de verdade, na maneira como a notícia é tratada,e, por vezes, omitida.

O Brasil não pode se curvar a um novo “Collor de Mello”, com os mesmo hábitos, sejam eles de governo ou até patológicos.

Aécio “aspira” o poder, sem medir conseqüências, da mesma maneira como dirige sua vida pessoal.

Anônimo disse...

BLOG RECEBE DENÚNCIA DE EX-GUARDAS MUNICIPAIS
O BLOG RECEBEU A DENÚNCIA DE EX-GUARDAS MUNICIPAIS CONTRATADOS QUE FORAM
DEMITIDOS POR FORÇA DE UM TAC DA PREFEITURA MINICIPAL DE CAMPOS EM 2008
SEGUNDO OS EX-GUARDAS O DIRETOR DO SINDSPREV CAMPOS
O SRº MARCOS LUIZ SOARES NUNES (MARQUINHO) OFERECEU AJUDA PARA OS EX-GUARDAS
PARA RETORNAREM A PREFEITURA E RECEBEREM O SEUS DIREITOS TRABALISTAS DANDO-LHES UM APOIO DE UMA ADVOGADA
DO SINDSPREV ONDE CERCA DE 2200 EX-GUARDAS FORAM AO SINDISPREV QUE FICA NA AVENIDA 28 DE MARÇO
Nº 224 BAIRRO JOÃO SEIXAS PARA APRESENTAR DOCUMENTOS PARA SER AVALIADOS PELA A ADVOGADA DO
SINDSPREV O CURIOSO FOI QUE O SENHOR MARQUINHO PROMETEU QUE SE OS EX-GUARDAS VOTASSEM
NA CANDIDATA DO SINDSPREV NAS ELEIÇÕES DE 2010, ELES TERIAM O SEU EMPREGO DE VOLTA NA PREFEITURA E ONDE GRANDE PARTE
DOS EX-GUARDAS VOTARAM COM ESSA CONVIQUIÇÃO E A DEPUTADA DO SINDSPREV FOI ELEITA E ATÉ
AGORA NADA FOI FEITO PARA QUE OS EX-GUARDAS TIVESSE SEUS EMPREGOS DE VOLTA E SEUS DIREITOS
TRABALHISTA GARANTIDOS, OS EX-GUARDAS TENTARAM DENUNCIAR NAS RÁDIOS DE CAMPOS MAIS NÃO TIVERAM
A OPORTUNIDADE SEGUNDO OS PRÓPRIOS EX-GUARDAS, A DEPUTADA EM HORA ALGUMA AFIRMOU QUE DARIA DE VOLTA
OS EMPREGOS DOS EX-GUARDAS E NÃO AFIRMOU COMPROMIÇO DESTE GENERO OS EX-GUARDAS AFIRMÃO QUE O
DIRETOR DO SINDSPREV CAMPOS O SRº MARQUINHO QUE FEZ DISCURSO NA PRAÇA ALZIRA VARGAS PROMETEU
E DEU A SUA PALAVRA OS EX-GUARDAS QUE AQUI DENUNCIARAM NÃO QUISERAM DENUNCIAR A DEPUTADA E NEM
O PARTIDO, PORQUE SEGUNDO ELES, QUEM PROMETEU FOI O DIRETOR DO SINSPREV O SRº MARCOS LUIZ SOARES NUNES (MARQUINHO)
QUE HOJE CONTINUA ENROLANDO E MENTINDO.
OPINIÃO DO BLOG NÃO SERIA O FATO DA JUSTIÇA INVESTIGAR A ADMINISTRAÇÃO DO SINDSPREV CAMPOS
PARA SABER SE NÃO HOUVE ABUSO DO PODER ECONOMICO DAQUELE SINDICATO.