segunda-feira, 11 de abril de 2011

A ingenuidade do público, a hipocrisia da mídia e o cinismo das autoridades. Ou será: O hipocrisia do público, cinismo da mídia e ingenuidade do governo?

Qualquer ordem dos fatores não vai alterar o nefasto produto: Quem lucra, SEMPRE, com a produção de armas é a indústria, e não há indústria de armas sem um mercado ilegal que a favoreça, e pior, que seja muito mais rentável que o mercado lícito, se considerarmos o sobrelucro advindo da sonegação fiscal.

Qualquer policial mequetrefe como eu sabe como funciona: Uma fábrica de armas expede um manifesto de carga de armas a um país no estrangeiro, que deve retornar ao país dessa fábrica e ser submetido a órgãos de fiscalização nacionais e agências internacionais de controle, com a comprovação de que essa armas não se extraviaram. Mas as armas se extraviam, o manifesto de recebimento nunca dá conta de onde foram parar, e ninguém responde por isso.

Pois bem, se as armas que existem no mundo todo forma produzidos em fábricas legais, e não em manufaturas artesanais de fundo de quintal, eu te pergunto: Como nenhuma fábrica produziria nada além do que o mercado legal absorveria, caso esse fosse o único "cliente", e como esses manifestos NUNCA voltam com a comprovação dos destinos, quem é que é responsável pelo mercado ilítico de armas?

E mais: Como esse dinheiro, fruto das vendas ilegais, não podem ser contabilizados, onde é que os senhores das armas lavam o lucro das armas ilegais que vendem? Será no colchão da "Vovó"? Comprando picolé do Seu Juca? Ou nas contas secretas do sistema bancário internacional?

Uma "bala" para quem responder!

Como no tráfico de drogas, governos, sociedade e mídia querem reprimir a venda do ilegal produto (armas) depois que ele está na "prateleira", como se fosse possível.

Piada, e de péssimo gosto.

Nenhum comentário: