sábado, 16 de abril de 2011

A incrível máquina da guerra!

A guerra serve a vários propósitos, muito além dos objetivos estrategicos territoriais. Guerras servem à agenda política de governos, servem a indústria, servem à pesquisa, etc.

Boa parte dos mais avançados procedimentos de atendimentos médicos de urgência são desenvolvidos e aprimorados nos hospitais de campanha. Alguns medicamentos também.

A própria internet é uma derivação de uma rede militar.

Mas uns dos resultados prinicpais das guerras é revelar, prinicipalmente em tempos de internert e Wikileaks, os bastidores obscuros, as hipocrisias, e a enorme teia de interesses econômicos que apertam os "gatilhos".

Os opositores do regime de Kaddafi denunciaram as tropas leais ao regime por utilizarem um tipo especial de bomba, chamada de cluster(inglês) ou racimo(espanhol).

São explosivos de alto poder destrutivo e seu interior vem carregado com pequenas bombas, que após a detonação se espalham por uma área extensa, aumentam o poder de destruição, e a possibilidade de danos a civis.

Em 2008, foi assinada um tratado para proibição de fabricação, venda, uso ou armazenamento desse tipo de artefato. É claro que a Líbia não está entre os signatários.

Mas o interessante nesse caso é ver que até 2007, um ano antes da entrada em vigor do tratado de Oslo (dezembro de 2008), a Espanha, um dos países que aderiu, exportou toneladas desses armamentos para a  Libia.

São essas bombas que Kaddafi usa agoram contra seus cidadãos, as do tipo MAT-120, como noticiaram o jornal espanhol El País, e o jornal inglês The Independent.

Ou seja, como o "excedente" de produção, que ainda não havia sido adquirida e paga pelo governo espanhol perigava "encalhar", arrumaram um jeito de não ficarem no prejuízo.

Esse evento dá uma pequena pista de como se movimenta a indústria de armas, em qualquer país.
Nos mostra, também, como são infrutíferas e infantis, para não dizer tolas ou de má-fé, os discursos de autoridades locais, movidas pelo populismo de tragédia, ou tragipopulismo, em "combater" a violência resultante do uso armas, proibindo quem deseja legalmente adquirir uma.

Nenhum comentário: