quarta-feira, 16 de março de 2011

Será que está tudo bem?

Quando alguns setores, correligionários do vitorioso candidato a reitor, perdem seu precioso tempo de comemoração a retrucar críticas que consideram "desqualificadas", há alguma coisa errada.

Será que o torpor da vitória não aplaca o incômodo das consciências?

Vai saber!

Pobres Faustos, sabem a natureza do acordo, mas não resistem ao Mefisto!

Nada temam! A culpa é a chave para a redenção dos pecados na cultura cristã cientologista!

5 comentários:

Anônimo disse...

Esse município está cheio de professores Flores (assistam a novela Ribeirão do Tempo e entenderão o que estou dizendo). Para quem não assiste a novela vou dar explicações: trata-se de uma personalidade mórbida, suja, egoísta ao extremo, maquiavélica e extremamente manipuladora. Característica do indivíduo insatisfeito contudo mas, sobretudo insatisfeito consigo mesmo e que vive num mundo próprio, um mundo de ilusões, hermeticamente fechado e vedado contra tudo e todos que não partilhem do seu insano raciocínio. Esse... o que chamam... revolucionário. O que provoca a revolução no sentido da tomada do poder nos moldes mesquinhos do CUSTE O QUE CUSTAR. Normalmente esses psicopatas/sociopatas vivem como verdadeiros dinossauros, enclausurados entre livros velhos dos velhos autores comunistas e filósofos contemporâneos maquinando, 24 horas por dia, argumentos para a negação de tudo e todos, sobretudo a negação de Deus, seu principal inimigo. Tratam-se de pessoas dignas de pena e passíveis de tratamento psiquiátrico - os "negativistas de plantão senhores todos poderosos da razão plena".
Se tudo está bem, obviamente que não pois TUDO estar bem seria um sonho que paira somente nas mentes dos sociopatas de plantão. Somos realistas e não comungamos sociopatias. Na vida existem inúmeras falhas a serem corrigidas mas nada que impeça o caminhar da humanidade rumo ao progresso.

douglas da mata disse...

Meus deus, não está tudo bem, está cada vz pior.

Longe de mim querer hierarquizar saberes ou rotular escolhas culturais ou de entretenimento, mas pautar o debate sobre os rumos da Universidade com novela da Record(arghhhh), com renovação carismática e psquiatria de "botequim" é dose!

Vão mal as coisas por lá, muito mal...

Destaco as derradeiras palavras, asneiras que só, indigência intelectual que nem "milagre" dá jeito:

"(...)Se tudo está bem, obviamente que não pois TUDO estar bem seria um sonho que paira somente nas mentes dos sociopatas de plantão.(...)"
Essa primeira parte não faz sentido, é só ablué, aablué, ablué.

"(...) Somos realistas e não comungamos sociopatias. Na vida existem inúmeras falhas a serem corrigidas mas nada que impeça o caminhar da humanidade rumo ao progresso."

Será o realismo fantástico, onde todas as referências são distorcidas e valores caros a Universidade como a crítica, a dúvida e o incorformismo com o status quo são relegados a condição de incômodo a "pax do pensamento único do otimisimo e pragmatismo cínico? Sei lá.

Bom a última frase da "humanidade rumo ao progresso permanente" é digna de Augusto Comte. É isso aí, a UENF agora é ordem e progresso!

Uau.

Anônimo disse...

Nota:
O grande problema dos indivíduos sofredores da sociopatia é que os mesmos rotulam tudo e todos como algo incoerente ou incorreto. São os "donos da verdade" e tudo o que não for de seu agrado deve ser excluído, eliminado do "seu" modelo de sociedade. Aliás, diga-se de passagem, a grande falha desse sistema sociopata (leia-se comunismo, marxismo, leninismo, castrismo, guerrilhas, esquerdismo, etc etc etc) é justamente seus adeptos pensarem que têm a resposta e a resolução para todos os problemas da humanidade. Carecem de humildade os professores Flores da vida (ótima novela da Record) e acabam falindo sociedades inteiras às custas de sua visão ofuscada das coisas.
A utopia de ter as coisas "perfeitas", "acabadas",
"prontas", a partir de um modelo imaginário de algo "sustentável" pela falsa idéia de falência da sociedade nos moldes da liberdade e do capitalismo.
São analistas de plantão: analisam frases, buscam contextualizar, contra argumentar e impor suas inverdades, baseados em factóides pitorescos.
Os velhos "Ches" das universidades públicas brasileiras, incorformados consigo mesmo e com TUDO e TODOS estão morrendo (graças a Deus!) e dando lugar a uma juventude mais esclarecida, sem a nódoa da esquerdopatia e do psicodelismo arcaicos.
Para os esquerdopatas de plantão, desmoralizadores de TUDO e TODOS, os conceitos de Ordem e Progresso jamais irão agradar, haja vista que a desordem e o caos são suas ferramentas prediletas para impor seus conceitos toscos de humanidade desumana teleguiada pelo estado, refém da ditadura ignorante proletária, da fome e do medo.
Viva Cuba ! E os cu...banos!
Viva a guerrilheira no podrer! (digo, poder)
Viva as miniséries da TV sobre a vida "romântica" dos esquerdinhas sociopatas!
Viva os críticos de plantão que nada enxergam de bom nessa vida!

douglas da mata disse...

Eu disse que não estava tudo bem.

Bom, diante de tanto fervor do manifesto Instituto Millenium, ou na melhor Tradição, Família e Propriedadem eu encerro por aqui.

Não dá para levar a sério um troço desses.

Não se trata apenas de refutarmos argumentos conservadores, claro que não!

Que bom seria se o conervadorismo hipócrita se apresentasse sob teses passíveis de algum debate ou alguma troca intelectual.

Mas nesse nível, não dá.

Grostesco demais.

Boa sorte ao caçador de sociopatas, mas cuidado, evite se olhar no espelho, caro amigo!

Já gastei vela demais com defunto barato.

Anônimo disse...

Como uma sociopata de carteirinha, segundo as explicações dadas pelo fã das novelas da Record, gostariae comunicar que o meu mal está se agravando visto que nosúltimos dias li que o reitornegociou o aumento dos professores e foi vitorioso,o reitor eleito acena com uma getão participativa e ameaça quem o critica, a reitoria finge ser vítima de uma conspiração quando surgem denúncias como as licitações e os preços das praças de alimentação, sobre o bandeijão,a compra das TVs superfaturadas,chapas falsas no carro da reitoria, etc. No entanto, talves pr trabalhar muito e não uerer perder a novela da Record (acredito que seja um sucessoentreos membros da atual administração)esqueceu-se de recorrer a algo que está ao alcance de qualquer cidadão um advogado (existe justiça gratuita) para representá-lo e defendê-lo de tantas calúnias. Como sociopata acredito também que alguns professores deveriamtentar um estágioem outras universidades para conhecer e reconhecer que ser professor titular implica em currículo e vivência acadêmica e não em ações entre amigos.Infelizmente eu conheço os personagens dessa farça e são patéticos, mas eu sou sociopata graças à Deus.