quarta-feira, 23 de março de 2011

Os buracos e os furos nas licitações!

Quem olhar o programa de trabalho (PT), vinculado a rubrica orçamentária que trata do recapeamento asfáltico das nossa ruas, ou popularmente, operações tapa-buraco, vai observar que, à guisa de primeiro exame, está tudo em ordem.

Não há ilegalidade alguma, e as empresas que participaram do certame cumpriram todas as exigências legais, assim como o edital e as demais providências à cargo da contratante, nesse caso, a municipalidade.

Mas essa modalidade de concorrência traz um item "inovador" na concorrência pública, para o qual deveriam estar atentas as autoridades.

Como não é possível mensurar quantos buracos irão ser tapados, até porque a ninguém é lícito supor quantos buracos surgirão, a municipalidade faz uma estimativa, e promove uma licitação por determinado valor.

Na medida que os buracos aparecem, e são cobertos, há uma medição, e então há o pagamento, e cada valor global do contrato está relacionado com o tamanho do trecho (quilômetros) de ruas a cargo dessa ou daquela empresa. Quanto mais ruas, maior é o contrato.

Até aí tudo bem.

Mas há sempre um risco de que a prefeitura esteja pagando por um serviço não realizado, e a julgar pelo estado das ruas em nossa cidade, cabe observar a execução orçamentária, e o cronograma físico-financeiro das obras emergenciais de cobertura dos buracos, para fiscalizar se o contribuinte pagou por algo que não foi feito.
Talvez aí esteja a raiz do problema, ou o fundo do buraco!

Essa seria uma boa pauta para a Câmara, ao invés do seu presidente-clone ficar replicando quem se manifesta por ruas seguras e em condições de tráfego.

Já pensou se toda dificuldade fosse desculpa para não se fazer o que se deve?
Afinal, não foi para encontrar soluções que os governantes são eleitos?
Se fosse para fazer o fácil  ou o óbvio, como beijar criancinha(atenção, isso não é uma provocação), inaugurar pracinha, freqüentar coquetel, bastava chamar um zérruela qualquer para sentar na cadeira de prefeito, ou será que é esse o problema, afinal?

3 comentários:

Anônimo disse...

Nahim se revolta porque ele sabe abrir buracos: a) compra de frigobares superfaturados na Câmara Municipal (http://clebertinoco.blogspot.com/2009/12/frigobares-preco-de-ouro-na-camara.html); b) compra de ocmputadores superfaturados (http://clebertinoco.blogspot.com/2011/01/computadores-e-notebooks-com-precos.html) e c) reforma de banheiro no terminal rodoviário por R$ 94 mil (http://fmanha.com.br/blogs/esdras/2010/12/05/nahim-vai-reformar-banheiro-por-94-mil-reais/).

Anônimo disse...

peraí.... esse preço é referente ao pagamento só de buracos nas ruas da cidade?! putaquepariu!? eu tô pensando que também estava incluida aquela cratera do lado ocidental da lua!

nós sómos mesmos uns zéruelas.

meu nome é José Arruelas.

Douglas... não adianta. Você está pregando no deserto. Não é que eles sejam surdos.... é que morreu neles o que de mais precioso eles poderiam ter.....a CONSCIÊNCIA!

Anônimo disse...

O Presidente da Câmara tem razão em reclamar dessa gente desocupada que vive pintando buraco. O que eles ganham com isso.
Podiam entrar na boquinha e ficar rico também. Por que não compraram frigobar no comércio e venderam para a Câmara?
Por que não venderam computadores e notebooks?
Por que não contrataram pedreiros para reformar banheiro, com preço mais alto que a construção de uma casa?
Por que não entram na boquinha de tapar buracos também?
Oportunidades não faltam, o que falta a calar a boca e parar de se comportar como criancinha enciumada. E tomem cuidado, porque vocês já sabem como o Presidente trata as criancinhas.