quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Deixe-se Acreditar - Mombojó



É impossível olhar para a cena musical de Pernambuco e deixar de resumir tudo ao movimento manguebeat. Essa é uma tendência natural da indústria cultural de massas, à procura de rótulos e balisas para encaixar os negócios sob alguma embalagem mais vendável. Isso não é ruim de todo, se considerarmos que qualquer identificação, reconhecimento e massificação de fenômenos e movimentos culturais é melhor que nenhuma. Mas essa fórmula tende a esgotar o produto e soterrar a diversidade de manifestações que estão no entorno.

Quem ouvir o Mombojó, grupo que surgiu em 2001, algo como pós-manguebat(olha aí a necessidade de rotular), vai estranhar a ausência dos tambores de maracatu e as fusões com o legado regional pernambucano.

O Mombojó viaja pela faixa do rock-pop, baladas, jazz e certo pionerismo na batida bossa-lounge-eletrônica, com flerte sincero com o samba. Os limites se estendem a surf-music, que a bem da verdade, é uma base interessante para essa mistura, que se apresenta sob uma estética kitsch. Seu correspondente seria o Mundo Livre S/A, do Fred ZeroQuatro.



Essa é a cena. Ou pelo menos, é assim que ela nos parece.

Abaixo, a letra de Deixe-se acreditar:

Deixe-se Acreditar Mombojó
eu quero um samba pra me aquecer
quero algo pra beber, quero você
peça tudo que quiser
quantos sambas agüentar dançar
mas não esqueça do seu trato
da hora de parar
só vamos embora quando tudo terminar
eu vou te levar aonde você quer chegar
eu tenho a chave nada impede a vida acontecer
deixe-se acreditar
nada vai te acontecer
tudo pode ser
nada vai acontecer, não tema
esse é o reino da alegria

Nenhum comentário: