domingo, 16 de janeiro de 2011

Todos cobertos de lama: o sujo e o mal lavado.

Diz o ditado aí de cima que  incoerência é apontar erros nos outros, os quais pratica com afinco quando tem chance. Deve ser essa a lógica do desmemoriado ex-governador do estado do rio.

Não há dúvidas que é um escândalo que verbas alocadas em fundos estaduais, previstas em orçamentos e constituição federal e estadual, destinadas a intervenções ambientais de contenção, prevenção e socorro a tragédias naturais sejam desviadas a corporações de mídia, como noticiou o ex-governador, com repercussão em blogs e mídia em geral.

Mas, salvo me engano, quando no governo estadual, o atual deputado, à época governador, desviou, sistematicamente, os recursos do fundo estadual do ambiente, bem como os do fundo estadual da saúde, dentre tantos outros, para alimentar sua máquina de programas de propaganda a um real.

O rolo compressor da alerj permitia toda a sorte de malabarismos com o Erário.

Na época, quem se debatia contra essas manobras era um combativo deputado estadual, o minc, que hoje, estranhamente, silencia, a despeito de manter a pasta do ambiente sob sua esfera política de influência nesse governo.

Quem estará errado: o antigo governador que fazia o que hoje denuncia? O atual? O deputado que combatia e hoje silencia? Ou será que errados somos nós?

Nenhum comentário: