quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Nirvana - Lithium



É pouco provável que nós, amantes da música e do rock'n'roll, consigamos definir Nirvana, e o clássico álbum Nevermind.
Eu creio que só consigo definir o "antes" e o "depois" de ouvir.
Felizmente, conheci o álbum, ou melhor, prestei atenção só há alguns anos atrás, ainda que ouvisse a repetição massificada e pasteurizada durante os anos.
Cada um expressa suas sensações e suas impressões sobre alguma manifestação a seu jeito, isso que, vulgarmente, chamamos gosto.
Mas, gostando ou não, é impossível ficar impassível a "ética" ou anti-ética do Kurt Kobain, que a indústria cultural simplificou e aprisionou na "estética grunge".

Divido com vocês uma de minhas preferidas, não por coincidência:

Lithium Nirvana
I'm so happy 'cause today
I've found my friends ...
They're in my head
I'm so ugly, but that's okay, 'cause so are you ...
We broke our mirrors
Sunday morning is everyday for all I care ...
And I'm not scared
Light my candles, in a daze
'Cause I've found God
yeah yeah yeah (x6)

I'm so lonely, but that's okay, I shaved my head ...
And I'm not sad
And just maybe I'm to blame for all I've heard ...
But I'm not sure
I'm so excited, I can't wait to meet you there ...
But I don't care
I'm so horny, but that's okay ...
My will is good
yeah yeah yeah (x6)

I like it - I'm not gonna crack
I miss you - I'm not gonna crack
I love you - I'm not gonna crack
I killed you - I'm not gonna crack

I like it - I'm not gonna crack
I miss you - I'm not gonna crack
I love you - I'm not gonna crack
I killed you - I'm not gonna crack

I'm so happy 'cause today
I've found my friends ...
They're in my head
I'm so ugly, but that's okay, 'cause so are you ...
We broke our mirrors
Sunday morning is everyday for all I care ...
And I'm not scared
Light my candles in a daze ...
'Cause I've found god

I like it - I'm not gonna crack
I miss you - I'm not gonna crack
I love you - I'm not gonna crack
I killed you - I'm not gonna crack

I like it - I'm not gonna crack
I miss you - I'm not gonna crack
I love you - I'm not gonna crack
I killed you - I'm not gonna crack

4 comentários:

Anônimo disse...

MODALIDADE PREGÃO nº. 060/08
CONTRATADA: VER TV COMUNICAÇÕES S.a
OBJETO: o registro de preços para a contratação de empresa especializada
para fornecimento de Internet Banda Larga para as Unidades Escolares de Ensino e SMEC - Município de Campos dos Goytacazes/RJ.
VALOR GLOBAL: R$ 2.286.355,68 (dois milhões, duzentos e oitenta e seis mil,trezentos e cinqüenta e cinco reais e sessenta e oito centavos).
PRAZO DO CONTRATO: 12(doze) meses
Campos dos Goytacazes,17 de dezembro de 2010
Id: 1074911



É MUITA GRANA. Se dividir por 12 meses e por 70 reais, o preço médio de uma internet boa, teremos 2721 escola com internet banda larga. Uma perguntinha, nós temos tantas escolas assim? Uma pergunta que só o CHACAL pode responder.

TEQUILA E AFINS disse...

O Nirvana produziu músicas legais e história, mudando o rumo musical que vinha do hard rock mais melódico e letras consistentes para melodias simples, porém com mais energia, nascia o grunge direto de Seatle. lithium é mais uma incógnita do Kurt Cobain... belo post!
Leandro Tavares.

Anônimo disse...

"Infelizmente, aconteceu hoje em Campos mais um exemplo do despreparo por parte dos profissionais que trabalham nas delegacias. Após ser agredida pelo marido, uma senhora foi à Delegacia fazer a ocorrência e lá foi recebida por um funcionário que a convenceu de que o melhor seria não registrar a agressão. Isso é um absurdo. Daí a importância de termos em nosso município uma Delegacia Especializada no Atendimento às Mulheres.
Essa foi apenas uma denúncia que recebi; e quantos outros casos ficam omissos?
Essa decisão do Supremo só agrava ainda mais a impunidade.
Não podemos nos calar! "Post do Blog da Vereadora Odisséia-postaremos em todos os blogs-já que ela não quis postar no seu a nossa defesa.Nos chama de despreparados sem sair de seu gabinete cheiroso e arrumadinho,para apurar as denúncias recebidas,partindo do princípio antidemocrático de que todos são farinha do mesmo saco.Não somos não,as denúncias de violência domésticas só não são registradas quando a denunciante,por todas as mazelas que as impede de denunciar,são mais fortes que sua indignação.E a senhora vereadora que se diz defensora das mulheres embora desconheça qualquer atitude digna de registro dessa defesa,deveria saber que na maioria das vezes a denunciante até vai à delegacia mas não registra a queixa pq legisladores como a senhora ainda não deram conta de legislar a favor delas,e quando há lei,vcs não estão lá para fiscalizar sua aplicação.A senhora já veio á delegacia,visitou o espaço de atendimento a essas mulheres?E a senhora fez o que mesmo?Nada!Nada!E agora quer passar a sua irresponsabilidade para nós?Denúncia deve ser apurada,senhora,e não usar disso para fazer política sentada em seu gabinete.Vamos procurar nossos advogados e sindicato,exigimos desculpas no blog da mesma forma que fomos insultados.Falta de ética e respeito pelo outro.

douglas da mata disse...

A subnotificação de casos de violência é grave e deve ser combatida.
mas sem simplificações, nem demonizações.
A vereadora, embora tenha militância na área, padece dos mesmos males: proselitismo e falta de informação.

Vamos aos fatos:

É pouco provável que uma mulher agredida que deseje, irreversivelmente, terminar com o ciclo de agressões que sofre, seja convencida por quem quer que seja a "desistir" do registro.

A mulher "desiste" por vários motivos: porque tem medo, porque não tem o que comer, porque teme pelos filhos, porque ama o agressor e acredita em suas juras de amor e pedidos de desculpas, etc, etc.

Ainda assim, é possível que aconteça, devido a vários fatos:

1. Falta de sensibilização e treinamento dos policiais sobre o assunto, e não apenas "má-vontade", como quer fazer crer o comentarista. Vivemos em uma sociedade machista e violenta, e uma Lei por si não revoga essa cultura, entranhada no imaginário popular, e tristemente, na cabeça das mulheres. POliciais só refletem a sociedade na qual estão inseridos. Para mudar mentalidade é necessário convencimento da sociedade, sem hipocrisias.

2. Esse fato se comprova pelo altíssimo número de renúncias em sede judicial, quando a mulher perdoa o agressor, e volta a apanhar, por duas, três, quatro e às vezes, com desfecho trágico.

3. A lei não proveu abrigos ou meios de sobrevivência, o que leva as mulheres a desistir por não ter sustento.

4. Não há meios dos juízes proverem as medidas protetivas, como afastamento dfo lar, etc. Não há como colocar um policial em cada esquina.

5. Enfim, como dissemos, o problema é complexo, irregularidades das condutas dos servidores policiais devem ser examinadas caso a caso e punidas, se necessário for, mas generalizar e esquecer de olhar o TODO, só cria mais resitência e animosidade em uma área tão sensível.

Faltou espírito publico e senso de oportunidade a parlamentar em promover um debate sério e não fofoca, porque inclusive não há chance de defesa dos "acusados", como publicou o comentarista.